O que não pode faltar para o ano ser bom

Simone Demolinari / 04/01/2018 - 06h00

Final de ano é época em que recebemos muitas mensagens. Os votos, em geral, são basicamente os mesmos: paz, amor, felicidade, saúde, harmonia e alguns outros. Sem dúvida, são emoções fundamentais para uma vida de qualidade. Contudo, não conseguimos obtê-las através dos votos recebidos. É preciso mais! É preciso conquista-las através de um longo caminho que passa pela dedicação, esforço, privação e autoconhecimento.
Não existe fórmula para alcançar a felicidade, porém, adotar alguns comportamentos pode ser fundamental para aumentar, substancialmente, o nosso bem estar emocional:

– Parar de se espremer para caber no molde alheio: Cada um tem um jeito de ser, agir, e valores que acreditam ser bons para si. O conjunto dessas características é como se fosse o “molde” de cada um. Assim como um sapato apertado, cada vez que nos esprememos para cabermos no molde de alguém, nos auto agredimos. Por outro lado, quando os moldes se assemelham, a convivência é fluida, leve e sem atritos. É como diz o ditado: se precisar forçar é porque não é do nosso tamanho. Isso se aplica para anéis, sapatos e pessoas. Insistir naquilo que não nos cabe, nos impede de ver o novo.

– Investir na auto-estima: autoestima é um julgamento subjetivo que cada um tem a seu respeito. Portanto, se tivermos atitudes construtivas e cumprirmos os combinados que fazemos conosco, a nossa autoestima inevitavelmente subirá. Ao passo que, se por falta de disciplina, eu perder o controle sobre minhas condutas, a autoestima afundará.

– Eliminar o hábito de se comparar: a comparação é fonte geradora de sofrimento. Não existe lado bom: se eu me comparo ao outro e me sinto inferior, há sofrimento e, por vezes, inveja. Se me sinto superior, isso despertará em mim vaidade, narcisismo, orgulho, sentimentos opostos à felicidade. Sem contar que sempre será preciso que o outro fique mal para eu me sentir melhor. Não há ganhos, só perdas. Aqueles que buscam evolução emocional, devem se comparar consigo mesmos e, a partir daí, avançar naquilo que desejam.

– Evitar pessoas tóxicas: muitas vezes buscamos formas de conseguir lidar com pessoas tóxicas, o quanto na verdade, deveríamos buscar maneiras de nos distanciar delas. Não existe método que forneça uma blindagem emocional capaz de impedir o dano da perversidade; é incompatível com a natureza afetiva. Querer lidar com pessoas tóxicas e não sofrer, é o mesmo que querer comer veneno e não passar mal.

– Reclamar menos e realizar mais: reclamar é um mau hábito que pode se tornar um traço marcante da personalidade de alguém. O reclamão é um indivíduo negativo e mau humorado que geralmente não faz nada para mudar e ainda se coloca na condição de vítima. Reclamar, além de não resolver a vida de quem pratica, ainda pesa para quem convive, pois alguém acaba pagando o preço dessa negatividade. Melhor que reclamar é realizar, enfrentar os problemas, reagir, ir à luta e poupar os ouvidos alheios.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários