Faz mais um pra gente ver!

Thiago Pereira / 08/12/2017 - 06h00
cruzeiro, abila

O gol é o grande momento do esporte, como já diria aquele programa nostálgico– que, naturalmente subtrai todo o resto para resumir “esporte” como “futebol”. E todo grande momento exige uma mitologia. E toda mitologia busca afirmar um herói. E todo herói tem seu manto característico. E no futebol (ufa), geralmente esta vestimenta carrega o número 9 nas costas.

Claro que na prática moderna, não é bem assim. Vivemos tempos de volantes-craques, uma moda e uma necessidade inventada na última década. De números absurdos no uniforme. De goleadores que ainda existem, sim, mas que parecem inconstantes– veja os casos de André e Henrique Dourado, no topo de artilheiros do último Brasileirão. Você contrataria eles para o seu time?

E, principalmente, falando pelo Cruzeiro, vivemos a ausência de um grande goleador. Como me lembra o colega de redação Rafael Gomes, nossos últimos novões[foram Borges, em 2013, e Marcelo Moreno, no ano seguinte.

E a gente sabe o que aconteceu nestes anos, certo?

Faz tempo que não pregamos outro quadro na gigantesca galeria de artilheiros que acumulamos em nossa história. Palhinha, Evaldo, Marcelo Ramos, Fábio Jr, Oséias e, claro, Ronaldinho, são nomes que constroem uma tradição no Cruzeiro.

Faz tempo que não podemos (re)fazer o coro imortal de Jorge Ben: faz mais um pra gente ver!

Este ano, ganhamos dois possíveis candidatos; nenhum deles vingou exatamente. O primeiro, já deixa saudades, Ábila, que na minha opinião careceu de mais chances no time. É daqueles jogadores que tive esperanças de que poderia marcar seu nome em nossa história. Sinto falta.

O outro é Sassá, que chegou com a bola correndo já, não podendo, por exemplo, participar da campanha da Copa do Brasil. Se deixar de lado a vida loka, pode merecer nossas apostas também.

Mas não é à toa que a central de informações celeste da semana ficou ocupada com o assunto Lucas Pratto. O argentino é um dos raros “matadores” em atividade no futebol brasileiro e, se ele realmente estiver disponível no mercado, seria uma excelente contratação para um 2018, que promete ser glorioso (que venha a Libertadores...).

Até perdôo os maus tratos que ele já cometeu conosco.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários