Hipertensão Arterial Pulmonar

Tio Flávio / 02/09/2016 - 06h08

A AMIHAP – Associação Mineira de Hipertensão Arterial Pulmonar – foi fundada em 2006 com a finalidade de aproximar portadores de Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP) e pessoas físicas, jurídicas, leigos ou profissionais que possam oferecer melhores condições de tratamento e de convivência aos pacientes, promovendo a compreensão dos problemas, com orientações baseadas em experiências, aconselhamento profissional, assistência direta ou indireta, amizade, encorajamento e unidade no combate à doença.

A HAP é uma síndrome caracterizada por um aumento progressivo na resistência vascular pulmonar, levando à sobrecarga do ventrículo direito e sua falência, ocasionando a morte prematura. Como é uma doença rara e subdiagnosticada, por ter seus sintomas parecidos com outras doenças mais comuns ao trato respiratório e doenças cardíacas, muitas vezes o paciente é diagnosticado de maneira tardia e sua perspectiva de vida é de 2 a 3 anos.

Depois de anos de tentativas a AMIHAP, com o apoio da Sociedade Mineira de Pneumologia e Cirurgia Torácica, e em conversa com a Secretaria de Saúde de Minas Gerais, conseguiu que fosse criado um protocolo de tratamento da doença contemplando dois medicamentos; o governo federal também criou um protocolo que adiciona alguns medicamentos, porém ambos não permitem tratamento combinado, levando muitos pacientes a judicializarem os pedidos.

A negociação com o governo de Minas Gerais é justamente na mudança deste protocolo para adicionar mais medicamentos já aprovados pela Anvisa e também a alteração para o tratamento combinado, reduzindo, desta forma, processos judiciais e proporcionando tratamento digno aos pacientes.

A doença, quando tem o tratamento descontinuado, pode causar um “efeito rebote”, agravando drasticamente e levando ao óbito. Para saber mais sobre a AMIHAP, visite:  www.amihap.com.br

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários