Novos olhares sobre o empreendedorismo

Tio Flávio / 13/10/2017 - 06h00

Como o acesso às informações tornou-se mais fácil e amplo para boa parte das pessoas, presenciamos, na atualidade, o surgimento de uma multiplicidade de conceitos e opiniões, que nos ajudam a desenvolver uma imagem significativa do mundo justamente pela leitura de diversas percepções. Assim, para incentivar ainda mais a discussão sobre o empreendedorismo resolvemos criar uma série sobre algumas questões que gravitam o assunto.

Conversando com quem lida com empreendedorismo na prática, levantamos algumas definições de alguns formadores de opinião que são referência no Estado e é isso que vamos compartilhar aqui. Uma observação empírica é o quanto as mulheres têm se destacado nessa área também. Muitas movimentos inovadores e boas ideias vêm do público feminino.
Na opinião do palestrante e vendedor Fred Rocha, que tem ampla experiência em negócios, possui o espírito vendedor e empreendedor no DNA e que vivenciou seu próprio reality de vendas e atendimento, “empreender é construir um sonho do zero, através de negócios. Construir uma empresa para ajudar as pessoas e, como consequência, realizar o empreendedor espiritual e financeiramente”. Como o Fred abordou a dimensão “espiritual” na sua definição, vale um acréscimo: uma das maiores referências mundiais no marketing, Philip Kotler, abordou essa temática em uma das suas obras, chamada Marketing 3.0 (em breve chegará ao Brasil o mais novo livro dele, o Marketing 4.0).

A coaching e palestrante Alessandra Alkmin entende empreendedorismo como “iniciativa, disposição ou capacidade individual ou em grupo de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios. Está em encontrar a proposta de valor para produtos e serviços que realmente atendam a uma necessidade”. Ela ressalta que empreender é para todos que querem algo a mais, que têm vontade de mudar, fazer diferente do que já existe.

Já a palestrante e criadora do “Ideação (www.ideacao.com.br)”, Daniela Augusta, acredita que “muito mais que processos e gestão, empreendedorismo é atitude, é comprometimento”. A reflexão da Daniela extrapola o “criar o seu próprio negócio”, mas convida todas as pessoas a empreender. Ela ainda completa que a “educação é o caminho”.


(*) Palestrante, professor, autor de livros e idealizador do Tio Flávio Cultural

 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários