O Brasil tem 200 milhões de smartphones em funcionamento. É quase um aparelho por habitante. No mundo, o número sobe para 5 bilhões, de acordo com a GSMA, a associação mundial que representa as operadoras de telefonia móvel. Para as fabricantes, o desafio de trazer novidades para os telefones a cada ano é enorme. Afinal, como saber o que mais de 50% da população mundial quer no seu telefone?

Para a Samsung, o rastro está nos aplicativos. É o que explica o gerente de Mobile da Samsung, Renato Citrini. “Temos um mercado de mais de 200 milhões de smartphones, só no Brasil, o que torna impossível fazer um mapeamento das necessidades dos aparelhos. No entanto, estudamos o comportamento do consumidor por meio da demanda de aplicativos, que nos dá um norte sobre as funcionalidades que poderemos incorporar no futuro”.

De acordo com Citrini, a nova geração da linha Galaxy A8 chega com recursos que vieram dos hábitos dos consumidores. “A linha A8 é direcionada para um consumidor que usa extensivamente as funções de seu telefone, compartilha, filma e fotografa tudo. Para isso é uma máquina quem tem hardware de capacidade elevada para dar conta dessa demanda. Assim, incorporamos duas câmeras frontais para que o usuário consiga fazer selfies com qualidade cada vez melhor, pois sabemos que o consumidor deste aparelho tem o hábito de se fotografar”, explica o gerente da marca sul-coreana.

O aparelho
O Samsung Galaxy A8 chega em duas opções de tela, com 5,6 polegadas e 6,0 polegadas (A8+), e preços de R$ 2.399 e R$ 2.699, na ordem. 

Ambos contam com processador de oito núcleos e 2,2 GHz, 4 GB de RAM, memória de 64 GB (expansível a até 400 GB), câmara traseira de 16 MP e duas câmeras frontais com 16 e 8 MP.