Conforto e praticidade na hora de vestir, além da máxima liberdade para brincar. Ao escolher roupas para crianças, essas e outras variáveis devem ser levadas em conta, como a longevidade das peças. É preciso pensar não apenas na qualidade dos tecidos, mas também no custo-benefício do que é comprado para quem está em constante crescimento. 

Para Patrícia Guerreiro, idealizadora do Minas Fashion Kids (MFK), evento de moda infantil que acontece neste fim de semana em Belo Horizonte, a prioridade é fazer com que as crianças tenham uma experiência agradável com as roupas. 

A empresária, que já teve um empreendimento de moda infantil, conta que sempre indicava para as clientes que adquirissem peças de tamanho maior, para que pudessem ser usadas por um período mais longo.

Confira, abaixo, um fofíssimo ensaio fotográfico

“Acredito que aqueles itens do vestuário com cores mais leves e neutras e de modelagem mais atemporal e tradicional, não muito marcantes, sejam os mais aproveitáveis”, observa. 

Em relação às meninas, com as quais Patrícia – mãe de Manuela, de 14 anos e Joana, 5 – tem bastante experiência, os vestidos comprados em tamanhos grandes ficam larguinhos ou longos no início, mas depois podem ser transformados em blusas e compostos com calças e leggings.

Os irmãos Miguel e André de look da Buá, ensaio moda infantil

Os irmãos Miguel (E) e André (D) de look da Buá


Meninos

Referência em moda na capital, a escritora e palestrante Cris Guerra afirma que cada mãe entende o processo de crescimento da prole ao longo do tempo. 

Aos 10 anos, Francisco, filho de Cris, já está na fase de escolher o que gosta ou não gosta. A escritora diz ser adepta de ele ter menos roupas.

“Camisetas e camisas duram muitos anos porque ele é magrinho. Já as calças ficam curtas sem que a gente tenha tempo para perceber. Costumo comprar camisas e até calças um pouco maiores, de modo que dê para dobrar e assim não inviabiliza o uso”, revela.

As irmãs Alice e Ana Júlia com vestido em tecidos mais soltos e duráveis, ensaio moda infantil

As irmãs Alice (E) e Ana Júlia (D) com vestidos em tecidos mais soltos e duráveis; looks da Buá e da Vila Mells, respectivamente

Materiais

O conforto no vestir para as crianças, assim como para os adultos, está diretamente ligado aos tecidos e à modelagem das peças escolhidas. Malha e moletom são referência quando o quesito é o bem-estar dos pequenos, concordam Patrícia Guerreiro e Cris Guerra.

“As marcas de moda estão criando coisas incríveis com esses materiais, sem necessariamente atrelar ao estilo esportivo. Isso é um avanço muito legal. Se nem os adultos querem mais usar roupas desconfortáveis, imagine as crianças”, pondera Cris.

Beatriz e Júlia, moda infantil

Beatriz (E) e Júlia (D) divertem-se em guerra de travesseiros com looks da My Joy Kids e da Vanilla Baby Kids, respectivamente


Boa escolha

Apesar de achar ideais essas matérias-primas, Patrícia Guerreiro destaca a resistência menor delas.

“O moletinho (moletom mais fino) deixa a criança muito arrumadinha e ao mesmo tempo super confortável, no entanto, não tem a mesma durabilidade de peças com tecidos mais encorpados”, observa a idealizadora do MFK, realizado no espaço Sua Sala, no Ponteio Lar Shopping, bairro Santa Lúcia, região Sul da capital. 

As fotos que ilustram essa matéria são de um ensaio fotográfico produzido pelo Hoje em Dia com as peças de algumas das lojas que desfilam nesta 2ª edição do Minas Fashion Kids. Veja abaixo a galeria de imagens. O ensaio foi realizado no Hotel Ramada Encore Virgínia Luxemburgo, localizado à rua Gentios, 274, no bairro Luxemburgo, região Centro-Sul de BH.

Além Disso

Respeitar a beleza natural das meninas é a prioridade na maquiagem e também nos penteados infantis, observa o maquiador e cabeleireiro responsável pela produção das modelos do ensaio fotográfico, Léo Barroso.

“A criança já possui uma beleza ímpar, não podemos trazer um ar de adulta para uma menina”, observa o profissional, que dá algumas dicas:

  • Hidrate a pele, ressaltando o viço natural e saudável da cútis da criança
  • Evite a aplicação de base na uniformização da pele. No caso de fazer o uso, dê preferência para as líquidas e fluidas, como os BB Creams
  • Para o blush, escolha tons rosados ou pêssegos, com aplicação leve nas bochechas
  • Na área dos olhos, sombras de cores suaves, opacas ou cintilantes, sempre bem esfumadas; evite delinear com preto. Uma camada de máscara para cílios pode ser aplicada
  • Para a boca, batons claros e gloss compõem bem a make infantil
  • Ao usar ferramentas térmicas no cabelo, aplique um bom protetor, evitando danos nos fios. O modelador de cachos é um ótimo aliado tanto para definição deles ou para um efeito liso com leve textura ondulada