A temporada de premiações em Hollywood começou, nesta semana, com dois eventos já esperados pelos aficionados por TV e cinema e também pelos artistas. O Globo de Ouro, no dia 7, e o Critics’ Choice Awards, na quinta, ambos realizado na Califórnia. Para quem assistiu às duas premiações, tanto o clima, quanto os discursos e os trajes eram puro contraste.

Na primeira premiação, uma manifestação chamou a atenção de todo o mundo. A Time’s Up, campanha criada por um grupo de atrizes para combater o assédio sexual na indústria do entretenimento, tão denunciado no último ano, convidou os artistas a vestirem preto.

Leia mais:

Na noite em que todos usaram preto, vestidos do Globo de Ouro perdem o ar despojado

O protesto ganhou a aderência de praticamente 100% dos convidados para o evento e, nos discursos da premiação, a campanha ganhou mais reforço. A repercussão mundial foi tamanha que o número de seguidores do movimento no Instagram triplicou em dois dias.

As atrizes afirmaram, ainda, que o Time’s Up abrange não só essa indústria como as demais frentes de trabalho. “O abuso do poder está em todo lugar: no cinema, no exército, em todos os meios”, declarou Meryl Streep.

Quatro dias depois, os mesmos artistas estavam todos no Critics’ Choice, mais uma vez celebrando os melhores de 2017. No entanto, o que se viu foi a predominância de tons pastéis, metalizados e cores mais fortes como verde, azul e vermelho. Nos discursos, mais tranquilidade e menos protesto.