“God of War” tem sido apontado como uma das grandes produções do ano. O título que resgata o guerreiro espartano Kratos tem recebido críticas positivas pelos gráficos, jogabilidade e também pela voz cavernosa do protagonista, que passa o jogo dando broncas no filho Atreus, que ele chama asperamente de “garoto”. Conversamos com Ricardo Juarez, o ator que deu voz ao brutamontes.

Juarez trabalha com dublagem há cerca de 20 anos. Já deu voz a diversos atores do cinema norte-americano e até mesmo para o impagável Johnny Bravo, herói do desenho animado que fez sucesso no Cartoon Network e nos games “League of Legends” e “Injustice 2”. Perguntado se há diferença entre dublar um game ou um filme, o ator responde que o primeiro é muito mais complexo. 

Ricardo Juarez 

“É bem diferente, pois não temos a referência da imagem, a expressão do ator. No estúdio eu tenho dois monitores: um com o texto e outro com wave track, que é a faixa de ondas. Era a única referência e repetia na mesma intensidade. Em outros jogos só fazia falas fragmentadas, mas em ‘God of War’ a experiência foi totalmente diferente da dos outros games que já fiz pelo fato de ser ligado à parte emocional. Esse foi um papel que exigiu uma interpretação emocional, pois há um enredo forte e eu só tinha ideia, pois não havia imagens para orientar”, explica.

No escuro
Juarez, que já tinha feito as vozes de Kratos em “God of War: Ascencion”, game publicado para PS3, em 2013, conta que se preparou para o papel sem ter a certeza de que iria dublá-lo. “Quando fiz ‘Ascencion’, não sabia que teria outro jogo. Um dia, estava em casa assistindo a transmissão da E3 (feira de games acontece todo mês de junho, em Los Angeles) quando vi o Kratos barbudo. Foi uma surpresa. Vi que ele estava velho e cansado e, por conta própria, procurei uma fonoaudióloga que trabalha com dubladores, para buscar técnica para deixar minha voz mais pesada e envelhecida. E durante um ano me preparei. Fiz tudo isso no escuro, pois não sabia se faria ou não”, recorda o dublador que muda de voz como se apertasse um botão num teclado.

Questionado sobre o fato de muita gente torcer o nariz para filmes e games dublados, Juarez percebe maior interesse do público. “A cada projeto que eu participo tenho visto um aumento de interesse do consumidor. O game dublado oferece imersão maior. Te permite concentrar mais no jogo. A legenda muitas vezes faz com que o jogador deixe passar detalhes que são importantes na trama”, explica. 

Entendeu, garoto?

Leia mais sobre games no GameCoin