Presença obrigatória nos aeroportos desde que a cobrança por bagagem despachada entrou em vigor, há sete meses, a mala de mão desafia viajantes. Obrigados a colocar o máximo de pertences no mínimo de espaço, muitos se veem às voltas com um dilema: o que levar, afinal? Pois anote aí: aproveitar cada centímetro da bolsa, economizar reais e arrasar no passeio depende de três fatores: duração da viagem, programação e previsão do tempo.

Uma das principais dicas é a quantidade de peças a serem embarcadas. Macete dividir o número de dias do roteiro por dois para saber o número de partes de baixo (calças e bermudas, mas essa lista inclui macacões e vestidos). Para as partes de cima, a conta é de multiplicar pelo tempo da estada, ensina a consultora de imagem Luiza Oliveira. Expert quando o assunto é escolher as melhores peças para potencializar as possibilidades de look, ela justifica. “A parte de cima é a mais importante de ser modificada, pois é a que estabelece a comunicação visual com as pessoas. É para onde olhamos”.

Para levar menos, as sugestões são optar por tons que combinem entre si, capazes de multiplicar looks, apostar em tons monocromáticos, elegantes e que permitam composições fáceis, além de estampas com P&B e animal print, sempre curingas. 

Se for imprescindível despachar bagagem, divida o peso com a mala de mão –além de mais seguro, o pagamento extra fica mais barato. “Em caso de extravio é essencial ter peças suficientes para se virar por pelo menos três dias”, enfatiza. 

Há sete meses, as companhias aéreas brasileiras vem cobrando tarifas extras por bagagens que ultrapassagem os 10 kg da mala de mão e que, portanto, precisam ser despachadas; os valores variam conforme empresa e tipo de passagem e podem chegar a R$ 80

Só o essencial

Na hora de distribuir as escolhas na mala, vale usar algumas regras de ouro da personal organizer Letícia Cordeiro. A principal delas é, antes de mais nada, dispor a seleção sobre a cama para visualizar melhor o que está sendo levado e eliminar o que não será tão útil ou importante assim. 

O próximo passo é criar uma base reta na mala. Se houver alguma estrutura metálica em relevo, tente neutralizá-la com calçados ou peças mais grossas, como casacos e calças. Aproveite ao máximo os espaços disponíveis na bolsa e não caia na tentação de incluir itens pensando em imprevistos, ressalta Letícia. “Não sofra com o ‘mas, se...’”, alerta. 

Importante também deixar espaços vazios para eventualidades. Para isso, prefira malas com extensores. 

Observar as dobras das roupas também fará toda a diferença e garantirá praticidade durante a viagem. Quanto menos dobradas e mais alongadas as peças, melhor. “É menos volume e menos amassado”, enfatiza a presidente da Associação Regional de Profissionais de Organização e Produtividade de Minas Gerais (Arpop-MG). 

Kits inteligentes

Problema comum, a falta de espaço para as frasqueiras pode ser solucionado com a distribuição dos volumes. “O melhor é dividir em saquinhos pequenos, de preferência transparentes. Assim, ganhamos mais espaço e facilitamos a localização na hora do uso”, explica Letícia. Segundo ela, é essencial levar pelo menos três kits: remédios, higiene pessoal e maquiagem.

Confira outras dicas de Letícia Cordeiro e Luiza Oliveira para organizar uma boa mala:

  •  As cores das peças devem ser coordenáveis entre si, permitindo a criação de um número maior de looks
  • Não deixe para arrumar a mala em cima da hora. Isso inviabiliza a compra de peças necessárias, por exemplo, e a correta programação dos itens a serem levados
  • Se a viagem for mais formal, priorize uma cartela de cores mais neutras, como cinza e terrosos. Peças lisas, nesse caso, também são bem-vindas
  • Se o roteiro tiver praia, inclua peças estampas e cores mais alegres e vibrantes
  • Escolha as malas de acordo com o volume que será colocado dentro. Quanto mais compactas as peças estiverem, melhor
  • Na hora de escolher as peças, tenha em mente o roteiro, o clima do local e a programação que deseja fazer no destino
  • As melhores roupas para uma viagem são as de tecidos que amarrotam pouco. Se não for possível deixá-las intactas na mala, use o seguinte truque: pendure-as no cabide assim que chegar e deixe-as no vapor do banheiro
  • Aposte em acessórios para mudar a cara dos looks. Eles ocupam pouco espaço e não pesam a mala
  • Leve sempre um a dois cabides finos, semidercartáveis, para ajudar a "esticar" as roupas assim que chegar
  • Itens de valor, como jóias, eletrônicos e documentos jamais devem ser despachados. Leve-os na mala de mão
  • Acessórios como lingeries, cachecóis, luvas, toucas e cintos devem ser dispostos nos cantinhos da mala e nos espaços vazios
  • Leve sempre um saco extra para peças sujas e/ou molhadas

Confira dicas essenciais:

Arte malas inteligentes

Clique na imagem para ampliar

Ainda assim ficou com dúvidas? Anote na agenda o contato das experts:

Personal organizer Letícia Cordeiro - (31) 99794-7101
duenna.com.br
contato@duenna.com.br
@duenna_gestao_residencial
Facebook.com/duennagestaoresidencial

Consultora de imagem Luiza Oliveira - (31) 99504-9638
contato@pluralespacodemoda.com
@pluralespacodemoda
Facebook.com/pluralespacodemoda