Para muita gente, falar ou simplesmente pensar em etiqueta à mesa já soa como frescura. Alto lá! Muito mais do que criadas para fazer bonito diante dos outros, regras na hora das refeições ajudam a construir e consolidar uma boa imagem, principalmente em situações formais, com pessoas pouco íntimas. Para não parecer forçado, nem preocupado demais em se portar direitinho, o truque é agir com naturalidade. 

Consultora de etiqueta em Belo Horizonte há mais de 20 anos, Paula Curi diz que o segredo para se comportar com educação, sem deixar de lado as boas maneiras, é descomplicar. Segundo ela, muita gente considera a etiqueta à mesa desnecessária ou difícil de ser seguida exatamente porque complica o que nasceu para ser prático. 

Ao comer um biscoito crocante, morda-o e, em seguida, aperte os lábios para evitar sujar a roupa com o farelo

Segurar taças ou xícaras é só uma dessas situações, exemplifica a consultora, lembrando que, nessa hora, menos é mais. 

“Não precisa fazer firula nem colocar o dedinho para cima, é só segurar pelo pé para não esquentar a bebida ou pela alça”, ensina a profissional, indicando o caminho certo para cada utensílio. 

Situações simples como comer uma banana ou maçã em ambientes formais, como em um café da manhã em um hotel ou durante um lanche com executivos, também não precisam ser encaradas como bicho de sete cabeças. Nos dois casos, entretanto, garfo e faca são indispensáveis, orienta Paula Curi. Use os talheres para remover a casca da banana e levar a fruta à boca. No caso da maçã, dica é cortar pequenas fatias sem precisar mordê-la. Deixe o hábito de segurá-las com as mãos somente para quando estiver em casa.

Ao receber

A consultora lembra ainda que anfitrião que se preze também deve ficar de olho em alguns detalhes e ter pequenos cuidados para tornar a recepção um momento agradável e evitar gafes entre os convidados. Alimentos como azeitona e tomates miúdos – como o cereja e o sweet grape – devem ser servidos sem caroço e cortados ao meio, respectivamente. A ideia é facilitar a vida de quem vai degustar o prato e fugir de “acidentes” ao espetar o garfo.

Na primeira situação, entretanto, caso a azeitona seja servida com caroço, basta dispensá-lo no cantinho do prato – nunca sobre a mesa! A maneira mais elegante de fazer isso é com a ajuda do garfo, que deve virar uma espécie de concha quando levado à boca. Segurar com a mão – o caroço – também é válido. 

Outra dica útil e que vale para qualquer tipo de refeição e local é sobre o uso do guardanapo, que deve ser sempre dispensado do lado direito da mesa e nunca depositado dentro do prato sujo. “Se for de pano, não precisa dobrar, basta dispensá-lo sobre a mesa”, esclarece Paula Curi. [

Formal x informal

A especialista lembra, no entanto, que todas essas regras valem para situações mais formais, entre pessoas com pouca ou nenhuma intimidade, mas que na informalidade, entre familiares e amigos, não precisam ser seguidas tão à risca. “Antes de mais nada, é preciso distinguir entre ambientes formais e informais. Na formalidade, a gente recomenda que tudo fique mais simples de ser consumido. Em casa, não há tanto essa preocupação”, esclarece. 

Além disso:

Alcachofra:
Quando servida inteira acompanhada de molhos, você pode desfolhá-la com a mão. Mergulhe-a no molho e leve-a a boca. Cuidado ao usar a lavanda, que é "servida" para lavar as mãos e não para beber!

Ostras:
Segure a ostra com a mão e com o garfo próprio com dois ou três dentes pegue-a e leve à boca. Se não tiver talher específico, use garfo comum mesmo.

Escargot:
Escargot é um molusco que se desenvolve na terra. Típico da culinária francesa, deve ser consumido com pinça e grafo de dois ou três dentes.

Confira abaixo outras dicas de certo e errado para não fazer feio à mesa: 

Arte etiqueta à mesaClique para ampliar