Segundo tipo de câncer mais prevalente entre mulheres do mundo inteiro, os tumores de mama não são exclusividade dos humanos. Recorrentes também entre os animais, são diagnosticados com exames periódicos e, sobretudo, evitados com a castração. Neste mês, celebra-se o Outubro Rosa Pet – campanha cuja finalidade é conscientizar tutores de animais de estimação sobre a importância da prevenção da doença.

Quando castradas até o primeiro ano de vida, cadelas e gatas têm menos de 10% de chance de desenvolverem tumores nas mamas. O mesmo não acontece após os 3 anos, quando a retirada dos ovários e do útero, apesar de continuar sendo indicada, deixa de ser medida preventiva. 

“Depois do terceiro cio, a castração para fins de evitar tumor de mama não tem efeito, já que a carcinogene (transformação de células saudáveis em cancerígenas) pela presença de hormônios já terá acontecido”, esclarece o veterinário Luiz Flávio Telles, coordenador do Serviço de Oncologia do Santo Agostinho Hospital Veterinário, em Belo Horizonte.

O especialista lembra, ainda, da importância da detecção precoce dos nódulos, o que determina também o estadiamento (extensão do câncer) da doença, fator crucial para tratamento e cura dos tumores malignos. “Ensinamos os tutores a avaliarem as mamas dos pets, assim como a mulher realiza o auto-exame. Por menor que seja o nódulo, quanto antes for detectado, menores as chances de ficarem agressivos”, alerta. 

Quantos antes, melhor

personal trainer Marina Helena Dias, de 34 anos, sabe bem da importância do ditado “melhor prevenir do que remediar”. Há oito anos, a cadelinha Vitória, hoje com 11, foi diagnosticada com o primeiro tumor mamário, durante um exame de rotina. Ela não havia sido castrada. “Sabia da importância (da castração), mas acabei postergando”, reconhece. 

Após passar por cirurgia de remoção das cadeias mamárias, Vitória foi submetida a quimioterapia e, atualmente, esbanja saúde. “Achei o tratamento realmente o máximo. Não sabia que já estava tão desenvolvido, como nos humanos. Fiquei bem feliz com o resultado”, comemora Marina. 
Nos machos, a castração é indicada como prevenção para outros tipos de tumores, como o de testículos. 

Nas fêmeas, além de prevenir neoplasias, a cirurgia evita a pseudociese ou gravidez psicológica. Conforme a veterinária Mariana Ricci de Athayde, da Petland Paraíso, em São Paulo, os hormônios ovarianos atuam nas glândulas mamárias, estimulando a produção de leite e, em alguns casos, levando à inflamação das mamas. “Esse processo de inflama e desinflama pode favorecer o surgimento de células neoplásicas e levar a alterações celulares anormais”, reforça. 

A avaliação das mamas de cadelas e gatas deve ser feita por palpação de uma por uma; nódulos, tamanhos diferentes e secreção são sinal de alerta

Tumor de pele pode ser evitado com uso de filtro solar

Outros tipos de tumores malignos que podem acometer os animais domésticos acabam, muitas vezes, negligenciados ou passando despercebidos aos olhos dos donos. É o caso do câncer de pele, prevalente em animais de pelo branco e albinos. A dica é ficar atento aos hábitos dos pets, incluindo os cães e os gatos, evitando que se exponham ao sol, e utilizar protetor solar específico para bichos. Manchas e verrugas devem ser investigadas. 

A veterinária Andréia Turchetti, do Life Hospital Veterinário, em Belo Horizonte, explica que a doença costuma se manifestar com manchas ou pequenas feridas nas pontinhas das orelhas e focinho – mais expostos nos banhos de sol. Ela ressalta, porém, que mesmo as verrugas, muitas vezes associadas à idade do pet, também devem ser avaliadas por um profissional. 

“Muita gente vê, acha que é ‘coisa da idade’ e acaba não se preocupando tanto. Mas o ideal é levar ao veterinário, que dará o diagnóstico correto. Algumas são benignas, os adenomas sebáceos, que acontecem muito em maltês e poodle mais velhinhos. Mas toda verruga deve ser investigada”, reforça, alertando que, assim como nos humanos, quanto antes for descoberto o tumor, maiores as chances de cura.

Mais suscetíveis

Além dos animais de pelagem clara, algumas raças são mais suscetíveis ao câncer de pele, como os pitbulls, propensos ao mastocitoma, tipo de nódulo aparentemente inofensivo. “Ele não costuma chamar tanta atenção, mas se não for retirado no início pode gerar grandes complicações, levando, inclusive, ao óbito”, ressalta Andréia Turchetti. 

Geralmente, esse tipo de tumor manifesta-se nos membros (patas) e na região do peitoral do animal, podendo surgir, ainda, em órgãos como fígado e baço.

A raça boxer também é bastante suscetível às neoplasias malignas, podendo manifestá-las na pele ou internamente, em órgãos.

“São tumores mais graves e, às vezes, quando o dono descobre, não há mais tempo para serem tratados. Não acredito que raios-X devam ser feitos em todos os animais, mas nesses casos, sim, além de uma boa avaliação clínica. Seguramente, 90% dos boxers irão morrer de câncer”, enfatiza a veterinária. 

Outubro Rosa Pet exame das mamas

Assim como nas mulheres, as mamas de cadelas e gatas devem ser avaliadas por um profissional ou pelo tutor do pet, ensina o veterinário Luiz Flávio Telles, do Santo Agostinho Hospital Veterinário

 

85% foram diagnosticadas com câncer de mama, de fevereiro a agosto deste ano, no Hospital Veterinário da UFMG

Além disso

Diferentemente do tratamento voltado para humanos, a quimioterapia dirigida aos animais visa à qualidade de vida e não somente ao combate do câncer. Por este motivo, ressalta a veterinária Andréia Turchetti, cães e gatos não costumam ter tantos efeitos colaterais. Apenas em 20% dos casos há sintomas como enjoos e diarreias, controláveis com medicamentos e em casa. “Conseguimos resultados muito bons com poucos efeitos colaterais. A quimio no cachorro é para dar qualidade de vida, logo as doses não são altíssimas, como no humano. Às vezes, só queremos manter a doença sob controle”, reforça. 

Neste sábado (7/10), o Life Hospital Veterinário, no bairro Prado, região Oeste de Belo Horizonte, fará a primeira edição do Circuito Saúde Pet. Quem levar cadelas e gatas até a clínica poderá submetê-las a avaliação gratuita das mamas. Além disso, haverá triagem para doação de sangue e informações sobre controle de pulgas, carrapatos e prevenção de leishmaniose. O evento vai das 9h às 14h, na sede do hospital, na rua Platina. 

No próximo dia 21, o Hospital Veterinário da UFMG também terá programação especial em comemoração ao Outubro Rosa Pet. Os animais de estimação que forem levados até a Praça da Liberdade, Zona Sul da capital, serão submetidos a exames gratuitos das mamas. O evento, realizado em parceria com o DMVET Laboratório Veterinário, Academia Brasileira de Clínicos de Felinos (ABFel) e Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa) Minas, vai das 9h às 16h. 

1.392 cadelas foram diagnosticadas com câncer de mama, de fevereiro a agosto deste ano, no Hospital Veterinário da UFMG