Poucos sedãs definem tão bem o conceito de três volumes como o BMW Série 5. O modelo executivo da marca de Munique preserva conceitos que têm sido aposentados em nome de soluções de arquitetura e construção mais versáteis.

Hoje, o Série 5 é um dos poucos sedãs que ainda ostentam tração traseira e motor longitudinal. Além dele, podemos contar Mercedes-Benz Classe E (assim como o C e o S), Jaguar XF, os irmãos Série 3 e 7 e alguns poucos modelos norte-americanos. O restante, tem tração dianteira ou integral.

No entanto, atualmente isso pouco difere na experiência ao volante. Afinal, aquela condução com saída de traseira foi anulada pela eletrônica. E poucos têm a coragem e insensatez de desabilitar o controle de estabilidade (ESP). Ainda mais que se trata de um automóvel de R$ 400 mil na tabela, ou R$ 430 mil na pronta entrega.

Testamos a versão 540i M Sport que, apesar da “babá eletrônica” tentar podar a sensação de Opala, o Série 5 ainda é um carro impressionante de se guiar.

Como todo BMW, ele tem suspensão firme, direção direta, o que faz dele um automóvel de comportamento esportivo, ainda mais quando se habilita o modo “Sport” e se cambia nas marchas nas grandes borboletas atrás do volante. A oferta de força é tanta que ele avança de 80 km/h para acima dos 200 km/h em poucos segundos, mesmo com 1.670 quilos.

Por outro, lado o 540i também pode ser um automóvel dócil, para transportar a família ou aquele executivo que precisa de espaço para abrir o jornal no banco traseiro enquanto o motorista o conduz pela cidade com todo conforto e segurança.

O 540i é equipado com uma infinidade de sensores, câmeras e radares que conseguem detectar pedestres, manter o carro na faixa de rodagem, evitar colisão, ajuste automático dos faróis e até mesmo câmera de visão noturna. Só não serve cafezinho. Ainda!

FICHA

BMW 540I M SPORT 3.0

O que é?

Sedã grande, quatro portas e cinco lugares.

Onde é feito?

Fabricado na unidade de Dingolfing (Alemanha).

Quanto custa?

R$ 400 mil

Com quem concorre?

O BMW 540i tem poucos rivais. Basicamente são Audi A6 Ambition Plus 3.0 (R$ 373 mil), Jaguar XF S 3.0 (R$ 369 mil) e Mercedes-Benz E 250 Exclusive (R$ 340 mil).

No dia a dia

O 540i é um automóvel de alto padrão, apinhado de tecnologia, construção e acabamento impecáveis. Mas nada que vá além de seus conterrâneos de “alta patente”. O sedã tem espaço de sobra para quatro adultos, que podem ajustar a temperatura do ar-condicionado individualmente.

O quinto precisa afastar as pernas devido ao elevado túnel central por onde corre o eixo cardã e tubulações de escapamento, combustível e fluído de freio. O que depõe é que para vender no Brasil, a BMW teve que adaptar um pneu estepe no porta-malas. Apesar de mais estreito, rouba um bom espaço dos 530 litros por ter aro 19.

O motorista tem mimos como ajuste elétrico dos bancos, com direito a memória para duas posições, volante com ajuste elétrico de altura e profundidade, além de um recuo quando se desliga o motor e abre a porta facilitando o embarque e desembarque. A porta se fecha sozinha. Não precisa bater, basta encostá-la.

Adaptar-se à profusão de recursos demora um pouco. Mas há uma disposição lógica dos comandos no entorno da alavanca eletrônica da transmissão. À esquerda estão comandos do controle de estabilidade (ESP), ajustes de condução nos modos (ECO Pro, Comfort e Sport), controles das câmeras e assistente de estacionamento.

Abaixo ficam o freio de estacionamento e a função Auto Hold (que mantém o freio pressionado quando se para no trânsito). À direita fica o seletor do sistema de entretenimento que conta com rede de internet própria, GPS informações de tráfego, Juke Box (que permite descarregar músicas), telefonia e demais funções.

No trânsito, a eletrônica ajuda nas manobras como saída de vaga e baliza (se o amigo realmente quiser manobrar a criança, pois o Park Assist resolve essa tarefa). Afinal, ele é um automóvel de 4,93 metros de comprimento, com um capô imenso e muito largo. Daí, toda ajuda é bem-vinda. Por outro lado, é preciso ter paciência no trânsito pesado. Seu corpanzil não se desvencilha com facilidade nas “frestas” do tráfego.

Motor e transmissão

A unidade seis cilindros em linha 3.0 biturbo de 340 cv e 45,9 mkgf de torque (disponíveis a partir de 1.400 rpm) é um clássico na BMW, e equipa diversos modelos há gerações, inclusive o pequenino M2.

A unidade é combinada com uma transmissão automática de oito marchas que também se tornou padrão na marca e prima pelas trocas suaves e rápidas. A oferta de torque faz com que o motorista não perceba que está dirigindo um automóvel de quase 1,7 tonelada. Já o seletor de condução faz dele um carro pacato e um esportivo puro com apenas um toque de botão, mas cobra o preço na autonomia.

Como bebe?

Ele registrou 7,8 km/l (no modo ECO Pro). Já no Sport, com o “pé pesado” chegou a registrar 4,5 km/l.

Suspensão e freios

Independente nas quatro rodas, com acerto impecável, firme nas curvas, mas sem prejudicar o conforto interno. Os freios contam com sistema de regeneração de carga da bateria para auxiliar na função Start/Stop e na refrigeração enquanto o carro estiver com motor apagado.