Dia 13 de julho vem aí e com ele a celebração do Dia Mundial do Rock. Nomes como The Rolling Stones, Led Zeppelin, Aerosmith, Pink Floyd, The Beatles, Queen, U2, AC/DC, Guns ‘N Roses, Iron Maiden e Metalica eternizaram seus sons e estão entre as melhores bandas de toda a história. De olho na relevância e na fidelização desse público, não é de hoje que o mundo fashion percebeu que as peças com pegada rocker fazem a cabeça de muita gente por aí, até daqueles que não são verdadeiramente fãs do estilo musical.

Calças rasgadas, jaquetas de couro, peças com tachas, spikes e botas são algumas das opções que podem fazer com que qualquer produção tenha esse mood, que é sempre moderno. De acordo com Adriano Carvalhais, stylist da grife La Corte, o rock é bem-vindo em qualquer estação e sempre está presente na moda, independentemente da época.

E o que não deixar de usar? “Uma bela peça preta com um algum diferencial, como botões iluminados, rebite e a mescla de material entre o brilhante e o fosco, além das calças e jaquetas jeans”, ensina Adriano, que lembra que o black e o brilho apesar de superelegantes têm um “quê” de rock’n’roll pela ousadia. Quando se fala em rock, o preto é predominante no gosto popular e nunca sai de moda. “Um look total black é bem rocker, mas o ideal é mesclar materiais para criar texturas e fugir do óbvio: couro, camurça, jacquard, seda, crepe, cetim, renda”, lembra a consultora de estilo e imagem pessoal Cris Alves.

Na La Corte, Adriano explica que a coleção não está diretamente ligada às referências do universo rocker. “Posso dizer que algumas peças remetem, sim, ao conceito, cheias de identidade, carregadas de referências. Jaquetas, calças, saias e blusas acabam tendo um toque da época de Elvis, Beatles e outros mais”, afirma.

E já que o assunto é moda e rock nada mais justo do que falar da jaqueta de couro, que pode aparecer básica ou com aplicações. Para Cris Alves, uma senhora produção pode misturar vários estilos, como tecidos leves e inusitados. “O couro, por exemplo, pode vir acompanhado de tecidos fluidos e nobres para esse contraste.  É possível escolher um elemento mais marcante da estética do rock e trazer outras referências para a produção. No entanto, preto (e outros tons mais escuros), couro, metais, franjas, jeans e xadrez representam bem o que se espera de um bom look rocker”, explica.

O estilo universal que é para todos os bolsos

O estilo fica bem para qualquer pessoa, já que é atemporal e vira e mexe aparece como referência de grandes marcas pelo mundo. Para quem quer incorporar essa produção ao dia a dia, mas não gosta muito da agressividade de alguns elementos, a mistura é a pedida certa. Botas despojadas, xadrez e spikes caminham bem nesse universo. “Os coturnos, que são velhos conhecidos dos roqueiros, podem ser ótimas opções para deixar um visual, como um vestido leve estampado, por exemplo, menos adocicado”, acredita Cris.

A referência surge tanto em marcas internacionais como em opções com preços mais acessíveis, as chamadas fast fashions. “Vivienne Westwood é um exemplo, uma vez que sua carreira se confunde com a ascensão do punk rock na Inglaterra e com a trajetória da banda Sex Pistols, grupo do qual seu ex-marido era produtor. A Givenchy também é outro ótimo exemplo, apostando no preto, couro e camisetas cheias de personalidade, além dos spikes, que inclusive já enfeitaram acessórios de cabeça sofisticados, desenvolvidos pela marca”, explica Cris, que cita ainda a grife Cavalera e o estilista Alexandre Herchcovitch como umas das marcas brasileiras que apostam na pegada.

Falando em Alexandre Herchcovitch, recentemente o designer se uniu à marca Ellus e trouxe coleção em que suas famosas caveiras se fundiram à imagem da meiga figura da gatinha Hello Kitty. É o estilo rock and roll transitando por todos os universos, inclusive o infantil.