Para conseguir uma vaga de emprego é importante ter um currículo atrativo e interessante para os recrutadores. Ele deve reunir os dados mais importantes sobre a trajetória profissional de qualquer pessoa que quer ingressar no mercado de trabalho. A partir dessas informações o candidato será ou não convocado para as próximas fases da seletiva, como entrevistas e testes. 

Por isso, é essencial que o currículo seja bem estruturado para destacar as habilidades e qualificações de cada candidato e tenha somente informações que sejam de fato relevantes para quem fará a seleção. Confira algumas dicas para construir um bom currículo:

1) Seja sucinto
Por mais que pareça tentador preencher o currículo com todos os trabalhos que você já fez, o recrutador irá olhar principalmente as últimas experiências e as de maior destaque. Por isso, escolha trabalhos semelhantes ao da vaga que você está concorrendo e deixe de fora as atividades que não dialogam muito com a oportunidade. Duas páginas são suficientes para despertar o interesse de quem lê. Evite fazer uma apresentação muito extensa.

2) Liste suas qualificações
Um ponto importante é adicionar informações que possam contar ao recrutador um pouco mais de suas experiências anteriores, reforçando os pontos fortes. Indique, por exemplo, o porte das empresas em que trabalhou e quanto tempo você ficou em uma área de atuação. Se você sabe utilizar programas e softwares específicos para a carreira, destaque-os também no currículo. 

3) Destaque suas conquistas
Liste, no resumo, quais as principais conquistas nas experiências anteriores. Selecione trabalhos e práticas adotadas por você que tiveram bons resultados dentro e fora das empresas. Isso demonstra que mesmo estando fora do mercado de trabalho, você tem qualificações para a vaga pretendida. Caso tenha ganhado algum prêmio ou gratificação é importante mencioná-lo também. 

4) Acrescente cursos e certificados
Um bom profissional sempre continua estudando para se atualizar e também para entender melhor sobre campos de trabalho específicos. Por isso, lembre-se de garantir que cursos livres, certificados e informações sobre fluência em idiomas estejam no currículo. Destaque as atividades que estão mais relacionadas com a vaga e que podem comprovar que você tem prática e estudos na área em que está concorrendo. 

5) Evite erros e informações desnecessárias
O currículo é uma carta de apresentação profissional. Portanto, é preciso que ele mostre suas competências no mercado de trabalho e também qualidades diretamente relacionadas às atividades que você deseja desempenhar. Fotos pessoais, endereços de e-mail pouco profissionais e descrições muito detalhadas de competências comportamentais, como “tenho facilidade de lidar com conflitos” ou “meu maior defeito é ser perfeccionista” devem ficar de fora do documento. Evite também os erros de ortografia.

6) Não minta
Se você tem inglês intermediário, não coloque que é fluente no idioma só para impressionar o recrutador e garantir que será chamado para a entrevista de emprego. Colocar informações falsas muito provavelmente te trará problemas na hora de conversar com membros da empresa, caso você seja selecionado para a próxima fase. Além de ser uma situação desagradável, isso pode acabar com suas chances de conseguir a vaga. Seja sincero!

Fonte: Juliana Palermo, coordenadora de comunicação e marketing da empresa de soluções em RH Randstad