Aécio Neves (PSDB) estará nas urnas em 2018. A afirmação foi feita pelo próprio senador e presidente afastado da legenda, durante convenção estadual realizada neste sábado (11), na sede do partido, no Barro Preto, região Central de BH. 

Aécio não informou qual cargo disputará, mas descartou que vá concorrer a uma vaga na Assembleia ou na Câmara. Restam Senado e Governo do Estado. 

"Aécio está com muita disposição e convicção. Ele está no páreo porque vai provar que não cometeu nenhum crime", disse o presidente estadual da legenda e deputado federal Domingos Sávio.

Além de Aécio, Sávio aposta na candidatura de Antonio Anastasia (PSDB) para disputar as eleições ao Governo de Minas, em 2018. 

Ele afirma que conversou com o senador a respeito do assunto no começo do ano e que um novo encontro será realizado por eles até janeiro para discutir a candidatura. 

Racha

A demora na confirmação de Aécio na participação do evento e do não comparecimento de Anastasia não são reflexos de um racha entre os tucanos mineiros, garantiu Domingos Sávio durante a convenção. 

Anastasia não foi ao evento para participar das comemorações  dos 70 anos da Câmara Municipal de João Pessoa, na Paraíba. A agenda estava reservada deve o início do ano, conforme a assessoria do senador. 

Até a noite de sexta, Aécio ainda não havia confirmado a participação. 

"Minas está unida e com certeza vai contribuir para que o PSDB nacional encontre um caminho de convergência", ponderou Domingos Savio.

Aécio concorda. "Precisamos deixar a agressividade e a disputa interna de fora", enfatizou. 

Nacional 

No cenário nacional, líderes do PSDB travam um embate. Na última quinta-feira (9), o presidente licenciado do PSDB destituiu o senador Tasso Jereissati (CE) do comando tucano e indicou o ex-governador de São Paulo Alberto Goldman para o cargo. Goldman dirige o partido até que a convenção nacional seja realizada, em dezembro. 

O afastamento de Jereissati, conforme Aécio, dará mais isonomia aos políticos que disputam o cargo à presidência do partido. Além do senador cearense, o governador de Goiás, Marconi Perillo, anunciou a participação no pleito. 

Desembarque 

Apoiador de Michel Temer, Aécio defende o desembarque do partido do governo federal. No entanto, ele pondera que o PSDB "deve sair do comando da nação pela porta da frente, como entrou". 

"A minha intenção inicial era apoiar sem participar, mas meu nome foi chamado", pondera. Ele ressalta, ainda, que a participação do PSDB no governo federal não é "fisiológica". 

Conforme Domingos Sávio, até o final do primeiro trimestre os tucanos devem deixar Temer para assumir uma agenda própria. 

Convenção 

Cerca de 600 convencionais elegeram um novo Diretório Estadual, composto por 105 membros efetivos e 35 suplentes. Em chapa única, Domingos Sávio continuou no cargo de presidente."O PSDB está mais vivo do que nunca", garantiu Aécio. Na portaria do evento, prevaleceu a discrição. As tradicionais faixas e a decoração típica de uma reunião partidária ficaram de fora.