O ano de 2017 terminou para a maioria dos clubes do Brasil, incluindo América, Atlético e Cruzeiro. Tirando Grêmio e Flamengo, que disputam, respectivamente, o Mundial de Clubes da Fifa e a Copa Sul-Americana, as demais equipes nacionais já entraram de férias.
 
Mas o descanso pelo fim das atividades fica só para aqueles que atuam dentro de campo. Fora das quatro linhas o mercado da bola já está agitado e os dirigentes do trio de Belo Horizonte tentam, como podem, reforçar o elenco para 2018.

Com os caixas vazios pelos compromissos financeiros do fim do ano, que leva dos clubes além do salário, o direito de imagem, o 13º, férias e demais direitos trabalhistas, Coelho, Galo e Raposa usam a criatividade para contratar.

Sem dinheiro, Itair Machado, futuro vice-presidente de futebol do Cruzeiro, usará alguns jogadores como “moeda de troca” pra trazer reforços. Peças como Élber, Rafael Marques e Fabrício Bruno, que esse ano defendeu a Chapecoense, podem ser envolvidas no negócio que deve trazer o volante Bruno Silva, do Botafogo, à Toca II. 

No Atlético, Alexandre Gallo, nome de confiança de Sérgio Sette Câmara, que concorre à presidência alvinegra neste mês, negocia com o volante Rithely, do Sport, e vai sacramentar a vinda do volante Arouca, jogador de confiança de Oswaldo de Oliveira.

Já o América manteve o treinador Enderson Moreira e fará mudanças pontuais para reforçar o time visando à Série A de 2018.