O vereador Bim da Ambulância (PSDB), sexto mais votado na última eleição municipal de Belo Horizonte, teve a licença de piloto de helicóptero suspensa pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ele pousou uma aeronave na praia de Bacutia, Guarapari (ES), sem autorização na última sexta-feira (27) e colocou banhistas em risco.

O helicóptero que o parlamentar pilotava, prefixo PP-EEE, foi interditado de forma cautelar até que o caso seja esclarecido. A medida é parte do processo administrativo instaurado pela Anac para apurar os motivos que levaram o piloto a efetuar o pouso em local não homologado pela Agência. A aeronave está em nome da Embrasystem, responsável pela BBom, empresa de rastreador de veículos acusada de operar um esquema conhecido como "pirâmide financeira".

O dono do helicóptero e o piloto serão convocados para prestar esclarecimentos à Anac. Ao final da apuração, operador e piloto poderão sofrer sanções administrativas e suspensão das habilitações. O caso também poderá ser enviado ao Ministério Público e à Polícia Federal para que sejam tomadas medidas no âmbito criminal.

Histórico
Bim pousou o helicóptero na areia por volta das 10 horas e foi preso em flagrante. A praia estava cheia no momento. Indignados, banhistas chamaram a polícia e fizeram vídeos. Segundo o delegado responsável pelo caso, Marcos Luiz Nery, o vereador infringiu a lei ao colocar em xeque a vida das pessoas (artigo 132 do Código Penal) e a integridade da aeronave (artigo 261). “Constatamos que ele expôs a saúde das pessoas que estavam ali a perigo e também expôs a perigo o próprio transporte aéreo”, afirmou, na ocasião.

O tucano foi conduzido ao Centro de Detenção Provisória de Guarapari e a prisão dele foi comunicada à Justiça Federal. Como Bim da Ambulância ocupa cargo público, apenas o órgão podia decidir pela liberdade provisória ou manutenção da prisão do parlamentar. No sábado, a Justiça Federal emitiu um alvará de soltura.