Ninguém mais sabe ao certo o que é um utilitário-esportivo (SUV), afinal tudo pode ser um SUV desde que tenha lataria anabolizada e adornos plásticos em destaque. Se aguenta subir em pedreira, isso são outros quinhentos. E como o público gosta mais do visual do que realmente da utilidade (isso é um fenômeno global), a BMW acaba de lançar no mercado o X2, seu jipinho urbano e de visual descolado que desembarca com preços que variam entre R$ 211.950 (sDrive20i GP) e R$ 246.950 (sDrive20i M Sport X).

As duas versões são equipadas com motor 2.0 de 192 cv, transmissão de dupla embreagem e sete marchas e tração apenas nas rodas dianteiras. O modelo conta com teto panorâmico, sistema de entretenimento com conexão para smartphone. Ambos são equipados com sistema Driving Experience, que altera acelerador, direção e transmissão em três modos de condução: Eco Pro, Comfort ou Sport.

O X2 pode ser considerado uma versão mais jovial do X1. Eles compartilham a mesma plataforma e também conjunto mecânico. No entanto, é um pouco mais curto e baixo, justamente para dar aquele ar “cupê” dos irmãos X4 e X6, mas manteve a mesma distância entre-eixos em 2,67 metros, o que garante bom espaço interno tanto para quem viaja na frente quanto atrás. 

Mas não se pode negar que o X2 é um automóvel bonito. Seu design é tão charmoso quanto o do rival Mercedes-Benz GLA, que também segue a mesma toada de utilitário citadino chique, assim como Land Rover Evoque e o estreante Volvo XC40.