Em uma época em que a comunicação deixou de ser unilateral, engana-se o jornalista que pensa que pode dizer o que quiser sem se preocupar com repercussões. Um episódio recente envolvendo o comentárista da Rede Globo, Arnaldo Jabor, é um um exemplo disso. Na quinta-feira (13), durante o Jornal Nacional (Vídeo abaixo), ele chamou os protestos ocorridos em São Paulo, contra o aumento das tarifas de ônibus, de "ignorância política". Ele ainda foi enérgico ao dizer que a grande maioria dos manifestantes eram todos arruaceiros, filhos da classe média, sem causa, que não precisavam "chorar" R$0,20.

Nas redes sociais, os internautas despejaram milhões de críticas ao discruso de Jabor. As reproduções do vídeo dele no YouTube foram vistas milhões de vezes, com inúmeros comentários negativos. Até paródias o caso ganhou.

Para tentar amenizar a situação, na manhã desta segunda-feira (17), em sua coluna na rádio CBN, Jabor fez uma retratação. Ele assumiu que errou e mudou o discurso, dizendo que os protestos foram elevados à uma condição de "força política original".

Resta saber se tamanho "gesto de nobreza" será feito também em sua participação no Jornal Nacional, programa de maior audiência no País, onde foi feito o primeiro comentário.

Ouça a retratação:
 

Confira o vídeo das críticas: