Donos de restaurantes em uma cidade do sul da China realizam um festival anual de carne de cachorro nesta segunda-feira (22), apesar do criticismo internacional, que acusa o evento de cruel e anti-higiênico.

De acordo com os donos de restaurantes, é tradição comer carne de cachorro durante o verão. Já os ativistas dos direitos dos animais afirmam que o festival não tem valor cultural e foi inventado para impulsionar os negócios.

Mais de 10 mil cachorros, muitos deles roubados, são sacrificados para o festival, que ocorre no interior da região autônoma de Guangxi Zhuang, pobre e rural.

Adam Parascandola, diretor de proteção animal e gerenciamento de crise da Humane Society International, baseada em Washington, nos Estados Unidos, afirmou que ele e ativistas chineses testemunharam cachorros sendo maltratados em um abatedouro de Yulin, no último domingo.

"Um homem entra na jaula com um pedaço de pau e começa a dar pauladas nos cachorros, não para de bater, nem mata os cachorros...eles gritam e tentam se desvencilhar e é realmente chocante", disse.

Parascandola afirmou que ficou estarrecido "com a imensa variedade de raças" dos cachorros, que chegam na parte traseira de motocicletas e caminhões e ficam à venda no mercado. "Eu vi um Dálmata e um Chow Chow e muitos cachorros usando coleira, o que indica que provavelmente foram roubados", comentou.

O governo de Yulin afirmou que não apoia o evento e anunciou medidas como a punição para quem envenenar ou roubar cães e, aos comerciantes, não será permitido sacrificar em público os animais e servir a carne em locais abertos. Entretanto, de acordo com restaurantes entrevistados por telefone, o movimento no local era grande.

O ativista de Washington disse que conheceu pessoas que viajaram para o festival para salvar os cachorros comprando-os, mas o evento contava com grande público e havia filas para comer na frente de muitos restaurantes.

Celebridades como Ricky Gervais, comediante britânico, e Gisele Bündchen, pediram pelo fim do festival e mais de 3 milhões de pessoas assinaram petições contra o evento, informou Shareeza Bhola, gerente de comunicação do site change.org.

Cachorros são servidos como comida em algumas regiões da China, mas não é um prato comum. No início do regime do Partido Comunista a população era desencorajada a ter cachorros como animais de estimação, mas o hábito tornou-se bastante popular com o passar dos anos, especialmente entre a classe média urbana do país.

Fonte: Associated Press.