Quase 60% das operações bancárias no país já são feitas pela internet. Por isso, os bancos aumentam o leque de serviços on-line e oferecem, cada dia mais, opções além das triviais consultas ao extrato e pagamento de contas. E uma modalidade que tem crescido bastante é a liberação de financiamento para compra de veículos por meio de aplicativos (apps) para smartphones.

Executivos do setor garantem que o serviço é vantajoso para as duas pontas da transação. Os clientes conseguem desde simular o custo da operação até, efetivamente, obter o crédito sem precisar pisar na agência. Para os bancos, há a diminuição de custos, além da fidelização do consumidor.

No Santander, que afirma ser o maior do país nesse serviço, mais de 2 milhões de clientes já obtiveram financiamento via app.
“Percebemos que o processo de financiamento estava antiquado, era o mesmo há mais de 20 anos. Só o que mudou nesse período é que os dados para o cadastro passaram a ser coletados diretamente no computador”, diz o diretor do Santander Financiamentos, André Novaes.

A partir da constatação, o banco começou a ofertar uma plataforma mais ágil. “Estamos falando de uma experiência limpa, sem papel. Com quatro dados do cliente e quatro dados do carro, o aplicativo já dá ao cliente as informações sobre o financiamento. Antes, eram necessárias109 informações. Há mais tempo, o consumidor já teve que assinar 14 vias de contrato em papel”, compara Novaes.

Já no Banco do Brasil, desde a disponibilização da solução nos celulares, no fim de 2015, mais de 20 mil clientes já contrataram financiamento de veículo pelo celular. Em Minas, foram desembolsados R$ 53 milhões em operações de financiamento de veículos pelo aplicativo do banco. Só em setembro, as contratações pelo canal corresponderam a 40% do total desse tipo de operação.

Para o gerente executivo de Empréstimo, Financiamento e Crédito Imobiliário do BB, Orlando Costa, o serviço via smartphone reflete uma mudança na cultura dos consumidores que vão cada vez menos até às concessionárias e revendas para comprar um carro. Segundo Costa, o crédito disponível aumenta o poder de barganha do comprador. “O consumidor pode negociar um valor para o pagamento à vista, já que o valor financiado é repassado integralmente ao vendedor”, explica o executivo.

Um pouco atrás da concorrência está o Itaú, já que o banco ainda não permite finalizar a contratação do financiamento pelo sistema on-line. Para o consumidor final, a alternativa é o site de compra e venda ligado à instituição (iCarros). Assim, o cliente do Itaú consegue fazer desde consulta até emissão do voucher de crédito para apenas concluir a operação e retirar o carro na loja.

Personalização

As taxas de juros praticadas pelos bancos via app variam de acordo com o relacionamento com o cliente e o histórico como pagador. São consideradas também informações do veículo para o qual se pretende o financiamento.
Orlando Costa, do BB, explica que como o custo no mobile é menor, o banco consegue repassar a vantagem ao cliente.

O coordenador do curso de Administração do Ibmec, Eduardo Coutinho, acredita ainda que a oferta do serviço em larga escala tende a baixar ainda mais os valores. “Além do custo da transação diminuir pela desburocratização, um canal de crédito com mais concorrência pode gerar taxas mais em conta para o consumidor”, afirma. No entanto, ele adverte que o consumidor deve estar atento para não cair em tentação e estourar o orçamento.


 
Liberação do crédito via aplicativos leva cerca de 15 minutos

Para lojistas e consumidores, a oferta de financiamento dos bancos via aplicativos tem sido um bom negócio, pois agiliza o fechamento da transação. Todo o processo, da aprovação do crédito ao faturamento do carro, leva cerca de 15 minutos. “Esse ambiente facilita e tem ajudado o mercado a vender mais. Antes, a concessão de crédito era um jogo. Hoje ele está mais cristalino e o consumidor já sabe o que tem disponível”, afirma o diretor do Santander Financiamentos, André Novaes.

Aplicativo de compra de carro

O proprietário da Álamo Veículos, Glenio Júnior, comemora a agilidade proporcionada pelo novo serviço

De acordo com o executivo, cerca de 1.300 revendas e concessionárias em Minas Gerais trabalham com o app do banco.
O presidente da Associação dos Revendedores de Veículos de Minas Gerais (Assovemg) e proprietário da revenda Álamo Veículos, Glenio Júnior, comemora a agilidade proporcionada pelo serviço e as taxas menores que ele oferece.

“Esse novo processo facilita, com certeza. Dá mais agilidade na ficha da aprovação. Se você tem histórico bom, tem bom relacionamento com o banco, usar os aplicativos pode até reduzir os juros”, afirma Júnior.

O presidente da Assovemg explica que mesmo as instituições que ainda não têm aplicativos estão buscando minimizar a demora no processo de concessão de crédito, além da oferta de outros benefícios. “Os outros bancos e financeiras tiveram que se reinventar para não perder mercado para a concorrência. Alguns estão oferecendo até 120% do valor do veículo em crédito para o financiamento”, diz Júnior.

Experiência

A experiência com o aplicativo para o comerciante Dayon Derkian foi positiva. Ele, que faz todas as operações bancárias pelo smartphone e app do Banco do Brasil, comprou um Toyota Corolla de um vendedor particular recentemente com o crédito obtido pelo dispositivo eletrônico.

“Foi muito intuitivo. Entrei no app, fiz a cotação e peguei o financiamento. E o carro veio mais rápido para a minha mão. A taxa foi boa, melhor do que a de alguns lugares que eu tinha cotado antes”, conta. O comerciante também destacou a segurança de toda a operação feita pelo smartphone.

“A cada passo, o banco me enviava e-mail ou mensagem de texto para confirmar o que estava sendo feito. Isso, com certeza, aumenta a sensação de segurança”, afirma Derkian.