O diretor interino do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), José Carvalho da Silva, foi afastado do cargo na manhã desta terça-feira, 10, pelo governador do Amazonas, José Melo (Pros), depois de detentos tê-lo denunciado por supostas práticas de corrupção ligadas à facção Família do Norte (FDN). A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública do Estado, Sérgio Fontes, no início da tarde desta terça. A rebelião conduzida pela FDN no Compaj no domingo retrasado deixou 56 mortos.

Carvalho foi acusado por detentos de envolvimento com a facção criminosa em denúncia feita por meio de duas cartas enviadas pelos presidiários Gezildo Nunes da Silva e Alciney Gomes da Silveira, no dia 18 de dezembro. No documento, a dupla, que acabou morta durante a rebelião do dia 1º de janeiro, acusava Carvalho de receber dinheiro da facção para facilitar a entrada de armas, drogas e celulares dentro do complexo, além de falarem das ameaças que sofriam.

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), será aberta uma sindicância para apurar as denúncias feitas contra Carvalho.

Leia mais:
Força Nacional chega a Roraima para reforçar segurança no Estado
Em Manaus, detentos ameaçados trocam de prisão duas vezes em apenas 24 horas
Em 2 anos, facção criminosa quadruplicou em Roraima
País precisa de R$ 10 bi para acabar com déficit prisional