O período de Natal e do Ano Novo costuma ser o mais rentável do ano para o comércio. E para o setor de restaurantes, o cenário não é diferente, especialmente em 2017. A expectativa dos empresários é de que o faturamento em dezembro tenha um aumento de até 30% em relação aos outros meses do ano.

O que impulsiona o movimento são os encontros de confraternização das empresas, que já começam a ser realizados no fim de novembro.
Pensando nesse tipo específico de evento, os empresários se mobilizam para oferecer serviços que atraiam as empresas.

Pacotes que envolvam comida e bebida, um cardápio variado e até transporte dos convidados são atrativos usados pelos donos dos restaurantes.
Para o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel), Ricardo Rodrigues, os empresários têm que usar a criatividade para superar o momento de recessão que o país vive.

“Como estamos vivenciando um período de crise, quando os empresários apertam mais o bolso e muitas vezes abrem mão das confraternizações, é fundamental que os donos de restaurante sejam capazes de criar condições flexíveis”, afirma.

Outro aspecto destacado por Rodrigues para chamar a atenção dos empresários no momento de fechar o pacote é a flexibilidade na negociação dos valores.
“Tentamos montar uma proposta dentro do orçamento da empresa, o que aumenta mais as chances de fechamento de contratos. O que não dá é para trabalhar com uma estrutura engessada, com preços fixos, que vão de encontro ao atual cenário”, disse.

Alta no movimento
Proprietário do restaurante Baby Beef, localizado no bairro União, região Nordeste de Belo Horizonte, Yago Furlan, faz questão de destacar a importância desse período para o faturamento da empresa.

“Para o funcionamento do restaurante é muito bom. Dezembro é a nossa melhor época, atendemos de 22 a 25 mil clientes no mês. Nos outros meses o número varia entre 18 a 20 mil. É um aumento de 30%. Dá uma boa melhora no faturamento, até porque janeiro é um mês bem fraco, aí o movimento de dezembro consegue equilibrar bem as contas, e ainda sobra um bom saldo”.

Quem também comemora o aumento do movimento no período é Márcio Pereira, gerente da choperia Pinguim, que fica no bairro Carmo, região Centro-Sul da capital.

“A nossa expectativa é um aumento de 30% nas vendas em relação ao ano passado. Atribuímos esse crescimento à criação de pacotes e cardápios especiais para atender a clientela”, disse.

Atrativos
Além dos cardápios diversificados, muitos empresários investem em serviços alternativos, que buscam aumentar a comodidade do cliente.

Márcio Pereira revela um atrativo que caiu no gosto dos frequentadores. “Disponibilizamos uma van para até 15 pessoas, mediante a disponibilidade de horário A van faz a busca e a entrega dos clientes em um raio de 5km da choperia”.