Os American Depositary Receipt (ADRs) de empresas brasileiras negociados nas Bolsas de Nova York recuaram após no after-hours após o rebaixamento do rating soberano do País pela agência de classificação de risco S&P Global.

Os ADRs da Ambev fecharam em baixa de 1,00%, os do Bradesco (preferencial) caíram 0,92%, os da Embraer cederam 0,66%, os da Vale baixaram 0,30% e os da Petrobras tiveram desvalorização de 0,18%.

De acordo com a S&P Global, o atraso em reformas fiscais e a incerteza política são principais fraquezas da nota do Brasil. O rating do País foi rebaixado de BB para BB-, com perspectiva estável.

Leia mais:
Standard & Poor's rebaixa Brasil para três níveis abaixo do grau de investimento
Com rebaixamento, sócio da Vokin vê juro curto disparar e bolsa cair
Entenda o grau de investimento de um país
Fazenda: governo federal mantém-se comprometido com a consolidação fiscal