Imóveis que possuem áreas construídas irregulares poderão garantir à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) um incremento de R$ 56 milhões na arrecadação do IPTU de 2017. Um levantamento aéreo feito pelo executivo apontou que 65 mil construções têm perímetro pelo menos 30% maior do que a metragem declarada. As regiões do Barreiro e Venda Nova possuem 60% das irregularidades. Após análise dos dados, imóveis que eram isentos chegaram a ter que pagar R$ 2,7 mil de imposto.

“Em um dos casos, o imóvel era isento de pagar IPTU porque foi cadastrado como um barracão de 30 metros quadrados. Pela medição, constatamos que tratava-se de uma casa de 120 metros quadrados, com piscina e churrasqueira”, afirma o secretário adjunto de Arrecadação da cidade, Eugênio Veloso Fernandes.

Ele explica que a previsão é a de que o aumento na arrecadação seria de R$ 70 milhões a mais. Descontando a taxa inadimplência prevista de R$ 14 milhões, R$ 56 milhões devem entrar efetivamente no caixa.

O levantamento aéreo foi feito em 2015 e os resultados analisados em 2016, para cobrança em 2017. Como são muitos imóveis irregulares, houve um ranqueamento dos que teriam o imposto cobrado antes. Nesta leva, entraram os 65 mil imóveis. A partir do próximo ano, outros imóveis podem sofrer reajuste com base nos dados da Prefeitura.

Leia mais:
Guias do IPTU 2017 estão disponíveis a partir deste sábado (31) pela internet
Ministério Público é acionado contra cobrança de IPTU em Contagem
IPTU de Belo Horizonte terá reajuste de 6,58% em 2017