A capital e a cidade na Zona da Mata estão no radar da rede de hotéis Slaviero. Atualmente presente em 10 cidades do país, de cinco estados, o grupo quer entrar no mercado mineiro pela porta da frente. Executivos do grupo estiveram nas duas cidades à procura de terrenos e investidores interessados no negócio. Cada hotel receberá aportes de R$ 20 milhões. 
 
“Estamos na fase de projetos, em processos de estudos com investidores locais para a instalação dos empreendimentos. Mas as negociações estão perto de serem fechadas. Se tudo encaminhar bem, os hotéis serão inaugurados daqui a dois anos e meio ou três anos”, afirmou o diretor de expansão da Slaviero, Eraldo Santanna. 
Diferentemente de outras redes, a Slaviero não foca a Copa do Mundo. O plano é fincar raízes em Minas e explorar o mercado corporativo. 
 
“Em Belo Horizonte há uma demanda significativa de business. Embora o lazer tenha pouco apelo, a força de eventos e negócios é enorme na capital. Isso sem contar a economia pujante”, afirma Santanna. 
 
Em Juiz de Fora, segundo ele, os atrativos são o porte da cidade, o complexo industrial e o atual ritmo de crescimento econômico. “Nosso interesse é grande. Nossos executivos de vendas são constantemente questionados sobre empreendimentos do grupo em Minas”, revela.
 
Unidades
 
Hoje, a rede conta com 21 hotéis em operação nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo. Outras duas unidades estão sendo desenvolvidas no Mato Grosso e integram o pacote de seis inaugurações até 2014. A última unidade aberta foi em São Carlos, interior de São Paulo. Voltado para executivos, o empreendimento recebeu investimento de R$ 15 milhões. Aproximadamente 140 empregos, entre diretos e indiretos, foram gerados. 
 
“Temos o know how em administração, comercial e marketing. Desenvolvemos o produto e fazemos a gestão, enquanto o investidor entra com o capital”, detalha. 
 
A rede teve origem em 1981, em Curitiba, com a inauguração do Slaviero Palace Hotel, pelo empresário paranaense Eduardo Slaviero. O grupo trabalha com quatro categorias de hotel: bandeira Conceptual (luxo), bandeiras Executive e Suítes (superior), Slim (econômico) e Fast Sleep (banho e repouso em aeroportos).
 
Leia mais na Edição Digital