Não será desta vez que Belo Horizonte terá o maior arranha-céu da América Latina. Lançado com estardalhaço em 2012, o projeto da Torre Gigante ficará só no papel. Segundo apurou o Hoje em Dia, diante das barreiras da legislação e em busca de maior viabilidade econômica, a mineira PHV Engenharia e o escritório de a r q u i t e t u r a Farkasvölgyi, idealizador do edifício de vidro de 350 metros distribuídos em 85 andares, abandonaram a ideia original e já traçam um plano B para a área ao longo da avenida dos Andradas.

Pelo novo esboço, o empreendimento será diluído em um edifício principal e outros dois prédios menores. Mas se a torre mais alta da América Latina sai, entra em cena o maior arranha-céu do Brasil, com 240 metros e 60 andares. A intenção é que duas torres sejam comerciais e a terceira voltada para flats e apartamentos long stay, de um ou dois quartos.

Segundo o escritório Farkasvölgyi informou por meio de nota, uma das justificativas para a mudança seria a de que é mais fácil vender 50 mil metros quadrados em cada uma das torres do que 150 mil metros quadrados em apenas uma torre.

A nova proposta inclui ainda a possibilidade de transformar 90% da área privada em uma praça pública, o que privilegiaria conceitos de sustentabilidade e gentileza urbana. Assim, além de ser uma área de contemplação e paisagismo, o espaço serviria como ligação entre o metrô, o bairro Santa Tereza e o entorno do Boulevard Shopping, algo que hoje é impedido pela linha do trem. “Essa contribuição vinda da iniciativa privada é muito mais relevante que a altura da torre”, afirma o arquiteto Farkasvölgyi, do escritório que leva seu sobrenome, em nota.

Para que a obra vire realidade, entretanto, a Câmara Municipal de Vereadores precisa aprovar o empreendimento como operação urbana consorciada, isto é, uma parceria entre o poder público e a iniciativa privada.

A previsão do escritório de arquitetura é que ela seja aprovada ainda em 2015. Porém, a assessoria da Casa informou que não há projeto neste sentido em tramitação atualmente. Já a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano informou que não há qualquer novidade sobre o empreendimento em termos de licenciamento.

A PHV, por meio de assessoria de imprensa, informou que por uma leitura de absorção de mercado o novo “projeto do Complexo Andradas ainda está em fase de desenvolvimento e deverá sofrer ajustes até a validação final”.

Recorde

Hoje, o maior edifício do Brasil é o Millennium Palace, com 177 metros de altura. Localizado em Balneário Camboriú, Santa Catarina, o mega edifício ultrapassou em 2014 o paulistano Mirante do Vale, com 170 metros de altura.

Já o título de torre mais alta do mundo ficou para Dubai, no Emirados Árabes. São 828 metros.