Eleitores de três cidades de Minas voltam às urnas neste domingo (12) para eleger prefeitos e vice. Em Alvorada de Minas, na região Central, Ervália, na Zona da Mata mineira e São Bento Abade, na região Sul do Estado, o pleito de 2016 para esses cargos foi anulado pela Justiça Eleitoral porque o candidado que recebeu a maiora dia votos válidos teve o registro de candidatura indeferido.

A votação no dia 12 ocorrerá das 8h às 17h. Nos três municípios, os eleitores que não puderem comparecer às urnas devem justificar no prazo de 60 dias após a eleição – 11 de maio de 2017.

Entenda

Em Alvorada de Minas, os candidatos as eleições são Carlos Frederico Caldeira de Abreu (PMDB) com o vice De De Xisto (PMDB), Cleber do Esporte (PTdoB) com o vice João Pedro (PHS) e Vitor de Salvador (SD) com o vice Cristiano Tibúrcio (DEM). Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), Danilio Cléssio Ferreira (SD), candidato a prefeito mais votado em outubro de 2016, teve seu registro indeferido pela Justiça Eleitoral entender que, apesar de Danilio ter se desincompatibilizado do cargo de secretário municipal, não se afastou das funções, tendo praticado atos como servidor público no período vedado, que constata inegibilidade.

Em Ervália, os candidatos são: Alex Ruela de Almeida (PSDB) e o vice Luciano do Periquito (PSDB), e Eloisio Cunha (DEM) com o vice José Mauro Godinho (PT). Edson Rezende (DEM), candidato a prefeito mais votado no ano passado, teve seu registro indeferido pela Justiça Eleitoral em razão de contas públicas rejeitadas, de acordo com o TRE-MG.

Em São Bento Abade, três candidatos disputarão as novas eleições. Eneias Machado de Souza (PTB) com vice Luizinho do Antonio Chico (PR), Nono (PDT) com Lauro Izidoro da Silva (PDT); e Jane Rezende Silva Elizei (PT) com o vice Adélio (PRTB). No município, a candidata mais votada em 2016, Janete Rezende Silva, que disputou o pleito pelo PSDC, teve seu registro indeferido pela Justiça Eleitoral por rejeição de contas públicas.

Leia mais

Treze prefeitos recorrem, no cargo, de cassação; três cidades terão nova eleição