A emissora americana CBS transmite neste domingo (25), em seu programa "60 Minutes", uma entrevista com a atriz pornô Stormy Daniels, que pode lançar novos elementos sobre a polêmica a respeito de sua "relação" com o presidente Donald Trump há uma década.

A CBS não divulgou, como costuma fazer, trechos da entrevista, que vai ao ar às 19h locais (20h, em Brasília).

A atriz disse ao jornal "The Washington Post" que seu trabalho a fez desenvolver "casca grossa", mas que nada realmente podia preparar alguém para isso".

"Simplesmente queria contar minha verdade e me defender", afirmou.

Neste domingo, respondeu a um internauta que lhe perguntou o motivo pelo qual fez e  divulgou isto depois de tanto tempo: "respondi (essas perguntas) na entrevista, mas não sei o que vai ser transmitido, é claro", escreveu em sua conta no Twitter.

Stormy Daniels já havia falado de sua relação com Trump, inclusive em um tuíte recente: "Tecnicamente não dormi com POTUS 12 (Trump) anos atrás. Não dormimos (hehe) e ele era apenas uma estrela tonta de reality show".

Em inglês, POTUS é o acrônimo de "presidente dos Estados Unidos".

Também pelo Twitter, o advogado da atriz, Michael Avenatti, publicou a foto de um DVD junto com o texto: "Se 'uma imagem vale mil palavras', quantas palavras vale isso???? #60minutes #pleasedenyit (#porfavornegue)".

Avenatti acrescentou a hashtag #60minutes, sugerindo que dariam respostas durante a entrevista de sua cliente.

"Esta noite não é o final", tuitou neste domingo. "Isso é só o começo".

Próximo a Trump, o CEO do site Newsmax, Chris Ruddy, minimizou o impacto da entrevista.

"Isso tem motivação política para prejudicar, ou constranger (Trump) de alguma maneira... Acho que o povo americano está realmente considerando isso como uma caça às bruxas política", disse ele à emissora ABC.

O ex-senador republicano e duas vezes candidato à Presidência Rick Santorum declarou à rede CNN que o presidente "não pode ganhar" nessa situação.

"Com sorte, ouvirá pessoas que são sábias e entenderá que essa não é uma briga, na qual ele vai querer entrar", completou Santorum.

"É apenas uma questão de deixar essas pessoas falarem as coisas que elas têm para dizer", insistiu.

Demandas judiciais

Stormy Daniels recebeu um pagamento de US$ 130 mil do advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, como parte de um acordo de confidencialidade antes da campanha eleitoral de 2016, o que poderia configurar uma contribuição ilegal para a campanha do agora presidente.

Dias atrás, Avenatti apresentou uma ação na Justiça em nome de Daniels - cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford - para anular o acordo de confidencialidade.

O advogado garante que o acordo não é válido, porque não foi firmado pelo próprio Trump, com quem sua cliente começou uma "relação íntima" no verão de 2006 e que seguiu no ano de 2007.

Já Cohen disse que Stormy poderá ser processada em pelo menos 20 milhões de dólares por violar o acordo de confidencialidade.

Avenatti classificou essa afirmação de tentativa de intimidação contra sua cliente e denunciou que ela também foi alvo de ameaças físicas.

Entretanto, a atriz pornô sempre sustentou que não era responsável por vazamentos e que no início de março tomou medidas legais para ser liberada formalmente de seu compromisso de confidencialidade.

A Casa Branca negou qualquer encontro sexual entre Trump e Stormy Daniels - que ofereceu devolver os 130.000 dólares para "falar livre e abertamente sobre sua relação anterior com o presidente e sobre as tentativas para silenciá-la".

Também pede que lhe seja permitido publicar textos, fotos e vídeos relacionados com o presidente, disse Avenatti em uma carta a Cohen.

O programa da CBS vai ao ar alguns dias depois de a ex-modelo da Playboy Karen McDougal ter contado à CNN que Trump tentou pagá-la depois do sexo.

Em uma longa entrevista, Karen disse que recusou o dinheiro e que ambos tiveram uma relação de vários meses na mesma época do affair de Trump com Stormy.

Na semana passada, Karen McDougal pediu a um tribunal de Los Angeles que invalidasse um acordo de confidencialidade que teria firmado para silenciar sua "relação romântica" com o presidente.

Segundo a biografia publicada no site do estúdio Digital Playground, Stormy Daniels recebeu 40 prêmios da indústria pornográfica, para a qual ainda trabalha.