O pedido de recuperação judicial da Oi, que acumula dívida bruta superior a R$ 65 bilhões, não travou os lançamentos de produtos da operadora. Para conquistar clientes e gerar caixa, a companhia reforçou a venda de pacotes que estimulam convergência de mídias. Segundo o diretor de Varejo da empresa, Bernardo Winik, a previsão é a de que até o final do ano a quantidade de clientes do Plano Oi Total, que inclui um combo com telefone móvel, fixo e internet, triplique, alcançando a marca de 1 milhão de clientes.

Leia mais:
Oi pede recuperação judicial de R$ 65 bilhões, maior valor já apresentado no Brasil

Atualmente, 320 mil pessoas utilizam o plano, lançado há três meses. “O cliente não faz parte da recuperação judicial. E a melhor forma de mostrar que a companhia está forte é crescendo no mercado”, diz o executivo.

TV por assinatura

Ainda com foco na concentração de serviços, a Oi lançou ontem, na ABTA 2016, feira e congresso de TV por assinatura, um plano de TV pré-pago, com possibilidade de recargas semanais e mensais. É possível compartilhar os créditos do telefone e da internet com a TV, e, dessa forma, assistir a programas exclusivos. A recarga da televisão por assinatura também é possível por meio de aquisição de pacotes. Eles são vendidos nos mesmos pontos comerciais de recargas.

Segundo o executivo, pelo menos 1,2 milhão de clientes possuem aparelho para receber o sinal da TV, mas não utilizam. Isso significa que o produto tem pelo menos 1,2 milhão de clientes em potencial. “Há, ainda, aqueles que não querem se comprometer com um produto mensalmente”, diz Winik.

A antena para receber o sinal custa R$ 599, é comercializada em 8 mil pontos de vendas e o valor pode ser parcelado. Os pacotes de TV por assinatura custam a partir de R$ 29,90. “Depois que o equipamento está instalado, a pessoa compra os pacotes quando ela quiser”, enfatiza o diretor de varejo.

Na ABTA 2016, a operadora também lançou um aplicativo onde é possível comprar programas para serem assistidos na Oi TV.