Minas Gerais terá mais nove usina solares produtoras de energia, sendo que uma delas, em Pirapora, será a maior da América Latina, com capacidade de geração de 300 megawatts (com possibilidade de chegar a 370 no leilão do próximo ano), à beira do rio São Francisco. A empresa espanhola Solatio Energia venceu o leilão realizado ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em São Paulo.

A empresa já havia conseguido em outro leilão da Aneel a permissão para a instalação de outras oito usinas em Minas Gerais. O investimento total da Solatio em Minas será próximo a R$ 4 bilhões.

No total, a capacidade instalada no estado deverá ser de 620 megawatts até 2018, quando as 17 usinas leiloadas pela Aneel estiverem em pleno funcionamento.

De acordo com o deputado Iran Barbosa (PMDB), que participou do leilão, 11 mil empregos diretos devem ser gerados até 2018, quando todas as usinas devem estar em funcionamento.

Leilão

O leilão de ontem, o oitavo de energia de reserva, foi concluído ontem após mais de cinco horas de duração. O certame terminou com a contratação de 507,9 MW médios de energia, a serem gerados por 53 empreendimentos, dos quais 33 projetos solares e 20 eólicos. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), responsável pela operacionalização da disputa, o preço médio da energia comercializada ficou em R$ 249/MWh, com deságio médio de 15,35% sobre os valores estabelecidos inicialmente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Foram negociados 89,045 milhões de MWh.

A energia de reserva é contratada pelo governo federal e visa aumentar a segurança no fornecimento de energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Os 53 projetos contratados ontem têm capacidade instalada conjunta de 1.477 MW. O investimento previsto pela CCEE para a construção dos empreendimentos deve somar R$ 6,840 bilhões. O leilão movimentou R$ 22,171 bilhões com a contratação de energia, a ser fornecida por um período de 20 anos. O fornecimento terá início em novembro de 2018.

A lista de vencedores do leilão de reserva tem empresas como a EDP Renováveis, da EDP de Portugal, e a SunEdison, parceria da Renova em projetos solares no Brasile a Rio Energy, além da Solatio.

Este foi o terceiro leilão de energia de reserva de 2015. O primeiro ocorreu em julho e terminou sem a apresentação de propostas, já que o edital previa o fornecimento de energia a partir de 2016, menos de seis meses após a realização da disputa.