Apesar da maioria das agências, conforme a ABAV, já sentirem preocupação quanto à alta do dólar, há aquelas que não sentiram ainda os reflexos. 
Com 47 anos de tradição, a Tia Eliane Turismo construiu sua marca por meio dos pacotes para os Estados Unidos/Orlando. Por ano, são realizadas quatro excursões direcionadas para crianças e adolescentes. 
Fora desse esquema, os turistas também podem viajar sozinhos, em casal, com amigos ou em pequenos grupos, com assessoria completa da agência. 
Segundo a diretora, Renata Boechat, diferentemente de outros anos, a agência não perdeu vendas por causa da alta do dólar deste ano. “Estamos vendendo mais do que nunca”, declarou. A agência também trabalha com outros destinos nos EUA, Europa e oferece, pacotes nacionais para diversos destinos.

Gaia Tur
A retomada da Gaia Tur está acontecendo neste ano. Segundo a empresária Inês Lemos Gontijo, diretora da agência, as sucessivas elevações da moeda norte-americana não afetaram o fechamento de pacotes internacionais. A empresa tem nos destinos externos 60% do seu faturamento. “As pessoas não estão só fazendo cotações. Estão pedindo e comprando”, comemorou.
Depois de um 2017 difícil, a meta para este ano é de crescimento real. “Muitas viagens que não foram compradas em 2017 já estão sendo agendadas para 2019”, pontuou.