A JAC anda ruim das pernas no Brasil, mas nem por isso entregou os pontos. A marca chinesa, que viu seu desejo de se instalar na Bahia ser adiado sabe-se lá até quando, acaba de lançar o T40. Trata-se de um hatch aventureiro com banca de utilitário-esportivo (SUV).

Seu representante local, o empresário Sérgio Habib, não esconde que classificar o modelo como SUV é muito mais vendável que chamá-lo de hatch aventureiro e resume bem a questão. “O T40 é um SUV compacto com preço de hatch aventureiro”. 

Habib não é bobo, sabe que o consumidor se derrete por um jipinho, mesmo que seja um placebo e alérgico a poeira ou lama. Também sabe que preço agressivo é fundamental. Afinal, se lambuzou com as vendas opulentas do J3 em 2011, que tinha preço baixo e pacote de conteúdo amplo.

O T40 chega por R$ 56 mil. Com esse dinheiro o consumidor consegue levar para casa um Cross Up. 

Com 4,14 metros, o JAC tem linhas de um jipinho urbano, em função da linha de cintura elevada, mas é menor o EcoSport que já é miúdo. Tem altura livre do solo de 18 cm, como dita os “dogmas” do Inmetro, seu visual agrada, já exibe a nova logomarca do fabricante chinês e um desenho mais moderno, que segue a escola sul-coreana de design.

Equipamentos
Não é novidade que automóveis chineses conseguem agregar uma lista de conteúdos farta com preços abaixo do padrão de mercado. O T40 chega com pacote que inclui direção elétrica, ar-condicionado, controle de estabilidade (ESP), assistência de partida em rampa, acendimento automático dos faróis e faróis de neblina. Por R$ 2 mil a mais, o consumidor leva para a casa a versão Pack 3, que inclui câmeras frontal e traseira, multimídia com tela 8 polegadas, dentre outros. Sob o capô, ele oferece o conhecido motor 1.5 de 127 cv e 15,8 mkgf, combinado com uma caixa manual de cinco marchas.