O mercado de sedãs populares começou a ganhar corpo há cerca de 20 anos com modelos como Chevrolet Classic e Fiat Siena. Atualmente o segmento é bastante povoado, com diversas opções. E neste cenário figura o Prisma Joy, versão despojada do compacto da marca da gravata. A versão chegou há poucos meses com a silhueta original, para diferenciar do restante da linha que ganhou atualização de estilo e novos conteúdos. 

Partindo de R$ 44.310, o Prisma Joy é o legítimo sucessor do Classic, morto em agosto passado, mas está longe de oferecer aquele preço modesto do veterano. Por outro lado, o sedã orbita na faixa de preço de seus concorrentes próximos, não é o mais caro, mas também não é o mais barato.

Funcional, o Prisma Joy não oferece luxos. O acabamento é simples e não há mimos como computador de bordo, ajuste elétrico dos retrovisores ou o serviço de assistência remota OnStar (pelo menos da versão avaliada não constava o serviço, ao contrário do que indica o site da montadora). Na verdade, nem rádio ele oferece de série. 

Acessório
Na rede autorizada é possível adquirir sistema de entretenimento que agrega além de rádio com CD, Bluetooth e TV digital. No entanto, o módulo também não oferece GPS integrado, assim como a versão mais simples do MyLink, oferecida no restante da linha Onix/Prisma e também no Cobalt. Faróis de neblina e rodas de liga leve também são itens que podem ser adicionados na rede autorizada, mas são itens supérfluos para o consumidor que está com o dinheiro contado.

Por outro lado, a versão conta com itens como direção com assistência elétrica, vidros dianteiros elétricos e ar-condicionado que lhe rendem um pouco de conforto e colocam o sedã em pé de igualdade com as cestas de conteúdos básicas de seus rivais. 

 

Raio-x Chevrolet Prisma Joy 1.0

O que é?
Sedã pequeno, quatro portas e cinco lugares.

Onde é feito?
Fabricado na unidade de São Caetano do Sul (SP).

Quanto custa?
R$ 44.310
R$ 45.040 (testado)

Com quem concorre?
O Prisma Joy concorre com o Fiat Grand Siena Attractive 1.0 (R$ 43.590); Ford Ka + SE 1.0 (R$ 46.290); Hyundai HB20S Comfort Plus 1.0 (R$ 48.885); Nissan Versa 1.0 (R$ 43.590); Renault Logan Authentique 1.0 (R$ 46.300); e Volkswagen Voyage City 1.0 (R$ 41.330)

No dia a dia
O Prisma Joy é um automóvel para quem busca preço e não refinamento. Mesmo assim, o pacote de conteúdo básico que inclui direção com assistência elétrica, ar-condicionado e vidros dianteiros elétricos ofertam boa comodidade. O carrinho é prático no uso cotidiano, tem boa posição de dirigir e é fácil de manobrar, devido à leveza da direção. 

Seu porta-malas de 500 litros oferece espaço de sobra para bagagem, mas é bom lembrar que quanto maior a carga maior será o sacrifício do motor.

Motor e transmissão
O motor 1.0 8v de 80 cv e 9,8 mkgf passou por melhorias no ano passado. A unidade tem boa oferta de torque em baixas rotações e a transmissão de seis marchas contribui para reduzir o consumo em velocidades de cruzeiro. A 110 km/h o giro fica em torno do 2.500 rpm, bem abaixo dos 3.500 rpm em quinta marcha, o que faz com que seu funcionamento seja mais silencioso e eficaz.

Como bebe?
Seu consumo com álcool é de 10,3 km/l no combinado entre trajetos urbano e rodoviários.

Suspensão e freios
A suspensão do Prisma Joy segue o mesmo padrão da categoria de seus irmãos mais refinados, utilizando conjunto independente (McPherson) na frente, e eixo rígido na traseira. Já os freios utilizam o trivial conjunto de discos na frente e tambor atrás, mas cumprem bem a função de frenagem, com o auxílio do ABS. 

Pontos positivos
- Desempenho do motor
- Porta-malas

Pontos negativos
- Acabamento pobre
- Não há rádio de série