Malandro é o gato! Literalmente! A Jaguar acaba de anunciar que irá finalizar a tiragem do clássico D-Type, bólido de competição que venceu duas edições das 24 Horas de Le Mans, nos anos de 1955, 1956 e 1957. Segundo a marca, a produção prevista para o carro era de 100 exemplares, quando ele foi lançado em 1954. 
 
No entanto, apenas 75 foram fabricadas e as demais unidades ficaram incompletas até 1957, quando deixou de ser produzido. Agora a divisão Jaguar Land Rover Classic Works, que já tinha se comprometido a finalizar unidades inacabadas do D-Type, decidiu dar cabo à tarefa que andava arquivada há cerca de 60 anos. As novas unidades serão fabricadas com os mesmo métodos utilizados nos anos 1950, assim como componentes daquele período. 
 
Tanto que o motor será o mesmo seis cilindros em linha 3.4 litros, com três carburadores de corpo duplo (um para cada dois cilindros) e duplo comando de válvulas no cabeçote. Para a época era algo extremamente moderno e rendia gratos 250 cv. A Jaguar não revela se irá oferecer a versão com motor 3.8 litros. 
O que é certo é que ele terá opções com bico curo (shortnose) e também com bico alongado (longnose), além da marcante barbatana atrás do assento do piloto. Um detalhe interessante é que, apesar de a carroceria ter dois assentos, o D-Type tinha o lado do carona coberto por carenagem para reduzir o arrasto aerodinâmico.
 
Lenda
O D-Type se tornou uma lenda no automobilismo por ter vencido por três vezes uma das provas mais tradicionais do automobilismo, o que elevou a cotação das unidades fabricadas a valores surreais. 
 
Para se ter uma ideia, a unidade que venceu a edição de 1955 das 24 Horas de Le Mans foi arrematada em 2018 por nada menos que US$ 21,8 milhões (algo em torno de R$ 70 milhões). Nos Estados Unidos, réplicas usadas também não custam barato: são negociadas em torno de US$ 50 mil (R$ 160 mil).
 
A Jaguar não revelou quanto irá custar cada unidade desta última tiragem. Publicações europeias estimam valores na ordem de 1 milhão de libras (R$ 4,6 milhões).