Quando a Toyota fundou a Lexus, em 1989, o plano era criar um selo de prestígio para disputar mercado no segmento de luxo, tanto que o modelo de estreia, o LS 400, era uma espécie de Mercedes-Benz Classe S japonês em estilo, acabamento e desempenho. Agora, o topo da gama chega ao Brasil em sua quinta geração, com um pacote de conteúdos e tecnologias que não fazem feio diante o Classe S, assim como do Audi A8 e BMW Série 7.

Para o mercado brasileiro, a marca decidiu importar a versão LS 500h, com motorização híbrida, composta por uma unidade V6 3.5 e outras duas elétricas. Juntas, elas entregam 359 cv ao gigante de 2,3 toneladas. Completa o conjunto mecânico a transmissão automática de dez marchas e sistema de tração integral. 

Apesar de a cavalaria não parecer tão pujante como em outros modelos de alto luxo, o torque de 37,5 mkgf do V6 e 30 mkgf das unidades elétricas garantem uma aceleração de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos. Além disso, o gigante de 5,23 metros de comprimento (e 3,10 metros de distância entre-eixos) pode acelerar a até 140 km/h apenas com os motores elétricos.

Mimos
Mas milionários pouco se importam com números de desempenho. Quem compra um Lexus quer saber o que ele entrega em seu interior. O modelo tem bancos com 28 posições de memória na frente e 22 nos bancos traseiros. 

Também há massageadores e aquecimento nos assentos e encostos. Se não bastasse, o sistema de áudio fornecido pela Mark Levinson conta com 23 alto-falantes distribuídos em 16 pontos da cabine e potência de 2.400 watts. Tudo isso por apenas R$ 760 mil.