Automóveis esporte a cada dia ganham mais potência. Hoje não é raro anúncios de máquinas com 600, 700, 800 e mais de 1.000 cv. São números obtidos graças à combinação de recursos como turbocompressor e motorização híbrida, dentre outras soluções para obter o máximo de cavalaria e performance. Mas excesso de cavalos nunca foi um problema para a britânica Lotus. Pelo contrário, a marca fundada por Colin Chapman sempre conseguiu performance sem precisar de um motor truculento. Tanto que só agora, depois de mais de 60 anos de existência, um Lotus de rua atingiu a potência de 436 cv, com o Evora GT430.

A nova versão do Evora pode até não impressionar à primeira vista, mas foi projetada para permitir aceleração de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos e velocidade máxima de 305 km/h. São marcas perseguidas há muito pela Lotus. Até hoje, o modelo mais rápido da marca foi o Esprit V8, de 1996, que atingiu a máxima de 282 km/h. No entanto, ao contrário do motor de oito cilindros, o GT430 mantém sob o capô o conhecido V6 3.5 Toyota, dotado de compressor mecânico, mas com 80 cv a mais que o Esprit e cerca de 50 quilos a menos.

Por utilizar compressor mecânico no lugar de um turbocompressor, o pico de potência só surge após os 7 mil rpm, o que faz do Evora GT430 um esportivo à moda antiga, em que se faz necessário manter o motor sempre cheio para se ter o melhor desempenho. Por outro lado, os 44 mkgf de torque aparecem em 4.500 giros. Ele demanda meia aceleração para arrancar com o máximo de força sem perder tração. Ou seja, trata-se de um esportivo para iniciados.

Como todo Lotus, o GT430 é um carro leve. São apenas 1.250 quilos, praticamente o mesmo peso de um Fiat Argo 1.8. Equipado com rodas aro 19, na frente, e aro 20, na traseira, ele ainda conta com suspensão esportiva, freios de competição e kit aerodinâmico que gera “downforce” de 250 quilos em aceleração máxima. A parte chata é que somente 60 unidades serão fabricadas e nenhuma virá para o Brasil.