A milanesa Carrozzeria Touring Superleggera ficou famosa pelas carrocerias especiais produzidas com compostos leves. A Aston Martin por muito tempo foi cliente dela para modelos como DB5 e DB6. E para homenagear a antiga parceira, a marca inglesa acaba de apresentar o DBS Superleggera, que assume a posição de modelo mais potente da casa, superando o poderoso Vanquish. Tem como base o DB11, mas passou por severas mudanças na carroceria que o deixaram ainda mais imponente, com uma grande bocarra e generosas saídas de ar no capô. Além do visual arrojado, também ficou mais leve com o emprego de materiais como fibra de carbono e alumínio. A marca recalibrou os dois turbocompressores do V12 5.2, o que fez a potência saltar de 600 cv para 725 cv e 90 mkgf de torque. Toda essa força é despejada nas rodas traseiras e controlada por uma transmissão ZF automática de oito marchas. Segundo a Aston Martin, ele atinge máxima de 340 km/h. Isso porque há um limitador eletrônico!

Mobi “furioso”
Depois de depenar a linha Uno, a Fiat volta a oferecer a versão VeloCITY para o pequenino Mobi. Trata-se de uma edição equipada com acessórios da rede Mopar, como rodas de liga leve aro 14, em cor cinza, retrovisores e teto pintados de preto e acabamento interno em tonalidade escura. O motor segue o mesmo Firefly 1.0 de 77 cv e caixa manual de cinco marchas. Ele ainda conta com ar-condicionado, câmera de ré no retrovisor, sensor de ré, mas não conta com rádio. O preço é de R$ 45 mil. 

Super Q8
Se o amigo achava que o Audi R8 V10 Plus, com 610 cv, era o que havia de mais potente na marca das quatro argolas, está enganado. É o que diz a revista inglesa Autocar, que afirma que o SUV Q8 receberá conjunto motor do Porsche Panamera Turbo Hybrid que combina um V8 4.0 com uma unidade elétrica que fornecem nada menos que 680 cv e 86,7 mkgf de torque. A Audi ainda não confirmou se manterá ou não a cavalaria, já que supera os primos Porsche Cayenne Turbo e Lamborghini Urus. {HEADLINE}

Spin retocada
A Chevrolet lança na próxima semana a linha 2019 do monovolume Spin. Sem grandes inovações, a minivan tem como grande destaque a plástica que removeu a carranca medonha do finado Agile e passa a contar com conjunto ótico com desenho mais agradável, que incorpora luz diurna em LED, apesar de a carroceria seguir desengonçada. A minivan tem configurações de cinco e sete lugares na versão “aventureira” Activ. O interior também foi modernizado, mas o motor 1.8 de 106 cv segue como dantes.