A Ferrari uma daquelas marcas que podem se gabar de ter construídos modelos imortais. 250 GTO, 250 GT California, 288 GTO e F40 são alguns bólidos lendários da casa de Enzo Ferrari. Mas não há como deixar de fora a fascinante 365 GTB/4 Daytona, que completa 50 anos em 2018. A “berlinetta” apresentada no Salão de Paris de 1968 era a resposta de Maranello ao Lamborghini Miura. Sua arquitetura não diferiria dos demais V12 da linha 250, ostentando um imenso capô, dois lugares e traseira curtíssima. Sob o capô a Daytona era equipada com um moderno V12 Colombo 4.3, que contava com duplo comando de válvulas em cada bancada e lubrificação por carter seco. Sua potência era de 357 cv, que permitia acelerar seus 1.200 quilos em 5,7 segundos e atingir a máxima de 280 km/h. Com apenas 1.406 unidades fabricadas, a Daytona engrossa a lista de carros cobiçados por colecionadores.

Mitsubishi volta a oferecer lancer no Brasil
A Mitsubishi volta a comercializar o sedã Lancer no Brasil. Com produção na unidade de HPE Motores do Brasil, em Catalão, o sedã será oferecido com motor 2.0 de 160 cv e transmissão automática. Serão duas versões HL (R$ 74.990) e HL-T (R$ 79.990). A versão topo de linha conta com bancos revestidos em couro, vidro elétrico nas quatro portas, direção hidráulica, multimídia e ar-condicionado. Apesar de carecer de direção elétrica e ar-condicionado digital, é um dos médios mais baratos do mercado.

Fiat convoca Toro diesel para recall
A bruxa anda solta nos corredores da Fiat Chrysler (FCA). Depois do Argo, Mobi, Uno, Renegade e Cherokee, a picape Toro acaba de ser convocada para recall. O problema atinge cerca de 9 mil unidades equipadas com motor turbodiesel e caixa manual fabricados entre 2016 e 2017. Segundo a Fiat, foi detectado uma falha no filtro de partículas de diesel (DPF), que pode elevar o nível do lubrificante do e consequentemente a rotação do motor, que pode ocasionar em acidente: Informações: 0800-707-1000

Citroën convoca C4 Picasso 
A Citroën anunciou um recall para proprietários dos monovolumes C4 Picasso e Grand C4 Picasso, fabricados entre setembro de 2016 e abril de 2017, sob risco de desprendimento da folha do capô (isso mesmo, o chapa metálica que compõe o capô), que pode causar danos e até provocar acidentes. Segundo a marca, o reparo é simples e consiste em reforçar a fixação da peça e não leva mais que uma hora. Mais informações pelo telefone 0800 011 8088 ou pelo site www.citroen.com.br.