A Saleen Automotive, marca norte-americana que ficou mundialmente famosa com o supercarro S7, anunciou que irá fabricar uma nova leva do modelo, produzido entre 2000 e 2006 em tiragem de algumas dezenas de unidades. A nova série, batizada de S7 Le Mans Edition, terá apenas sete unidades, com preço estipulado de US$ 1 milhão (R$ 3,3 milhões). Assim como os antigos S7, a edição LM manterá o motor V8 biturbo 7.0 (bloco Ford), mas não foi informado qual é a potência do carro. Em 2005, quando a marca aplicou os turbocompressores no motor, a potência saltou de 550 cv para 760 cv, o que fez com que o supercarro atingisse a velocidade máxima de 399 km/h. Para agora, há expectativas que a nova edição supere a marca dos 1.000 cv e, consequentemente, a barreira dos 400 km/h. O retorno do S7 ocorre pouco depois do anúncio do inédito S1, com “apenas” 450 cv.

Nissan registra novo March no INPI
A Nissan registrou imagens da nova geração do March no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), conforme apurou a publicação Auto Esporte. De acordo com o texto, a fabricante japonesa nega a produção em curto prazo e alega que o registro fora apenas para assegurar a patente do veículo. O March vendido no Brasil foi lançando em 2011, para concorrer no segmento de entrada. Com a chegada dos compactos refinados, como o Polo, não há dúvidas que a Nissan também quer um naco do bolo.

Ford vincula GPS “off-line” no Fiesta EcoSport
A Ford atualizou os sistema de entretenimento Sync3 para rodar o aplicativo de navegação Sygic aos modelos Fiesta e EcoSport. A grande vantagem do app em relação aos demais aplicativos de navegação é que ele não depende de conexão com a internet para operar, como no caso do Google Maps e Waze, e faz o cálculo de maneira off-line. Basicamente ele funciona como os antigos navegadores embarcados, que desapareceram do mercado. O Sygic também será disponibilizado para Fusion e Focus.

Lexus identifica falha no tanque do CT 200h 
A Lexus, marca de luxo da Toyota, convoca proprietários do modelo CT 200h para verificação e possível reparo na junção entre o tanque de combustível e o bucal de abastecimento. De acordo com a marca, foi diagnosticado falha na solda entre as duas peças que pode provocar vazamento de combustível e consequentemente provocar um incêndio. As 22 unidades envolvidas no recall foram produzidas entre novembro de 2016 e fevereiro de 2017. Para informações e agendamentos: www.lexus.com.br