A Volvo acaba de apresentar a terceira geração do sedã S60, que chega bastante fiel à identidade visual da marca sueca. Mas o principal destaque desse Volvo é a nacionalidade. O modelo é o primeiro automóvel da fabricante feito nos Estados Unidos, mais precisamente na Carolina do Sul, estado onde já funciona uma planta da BMW. O sedã chega apinhado de tecnologias de segurança, como o avançado sistema de condução semiautônoma que é capaz de trocar de faixa, frear e acelerar sem o auxílio do motorista até 130 km/h. Além disso, ele consegue reconhecer pedestres, animais e até ciclistas. Sob o capô, o sueco conta com quatro opções de motores partindo da unidade T5 2.0 de 250 cv, na versão de entrada. A opção T6 2.0 une compressor e turbo e eleva a potência para 320 cv. A terceira opção é a T6Twin Engine AWD, que adiciona uma unidade elétrica para tracionar o eixo traseiro sob demanda com 340 cv combinados. Por fim, a T8 que recorre ao mesmo conjunto, mas ajustada para 400 cv. 

Fusion na praça
No Brasil, o Ford Fusion Hybrid é um automóvel de luxo, oferecido por elevados R$ 160 mil, mas que oferece satisfatória eficiência energética. No entanto, nos Estados Unidos, o sedã ecológico não goza de tanto prestígio como carro de bacana e acaba de assumir a função de automóvel de serviço. O modelo passa a contar com opções para uso de taxistas e também recebeu uma versão destinada para forças policiais, com já acontece com outros modelos como Dodge Charger e Chevrolet Impala. 

Novo Jimny
A Suzuki finalmente revelou a nova geração do jipinho Jimny. O utilitário continua sendo uma opção para quem busca um veículo off-road raiz, num mundo dominado por SUVs “Nutella”. Com carroceria montada sobre chassi, tração 4x4, o jipinho tem desenho quadradão, sem a menor pretensão de parecer moderninho, mas é simpático e lembra a primeira geração do Mercedes G. No Japão ele será equipado com dois motores, partindo de uma versão 600 cm³ (popular por lá) e uma unidade 1.5. 

A1 e seu jeito polo de ser
A Audi acaba de revelar a segunda geração do subcompacto A1. Depois de oito anos de mercado, o carrinho passa a ser construído na plataforma MQB, a mesma do Volkswagen Polo. E consequentemente o Audi passa a incorporar diversos componentes do “Carro do Povo”, aproveitando a arquitetura interna do painel, conjunto motor, que recorre a unidade três cilindros 1.0 turbo e a transmissão automática de seis marchas. Na próxima edição, o amigo confere tudo que o novo Audi tem para mostrar.