Kellyanne Conway, assessora do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou hoje que não vê necessidade de investigações adicionais sobre a interferência de hackers russos nas eleições presidenciais americanas e indicou que Trump considera reverter algumas das ações punitivas de Obama contra a Rússia.

Em entrevista ao jornal USA Today, Conway disse que "Trump vai querer se certificar de que nossas ações são proporcionais ao que ocorreu, com base no que sabemos". A assessora também afirmou que as ações de Obama, incluindo a expulsão de 35 agentes russos de Washington e de San Francisco, foram mais duras do que as atitudes tomadas por ele após os EUA hackearem a China e a Coreia do Norte.

Conway também ridicularizou uma proposta dos legisladores democratas, que propõe uma comissão bipartidária e independente para investigar alegações contra a Rússia. "É curioso e um pouco humorístico que os democratas falem sobre alguma coisa bipartidária dado que eles prometeram obstruir tudo o que tentarmos fazer", disse ela.

Leia mais:
Obama diz acreditar que Trump irá manter políticas sobre mudanças climáticas
Internet reage ao discurso de Meryl Streep no Globo de Ouro
Trump volta a dizer que México pagará por muro e chama mídia de desonesta
Trump aceita conclusões de relatório sobre ataque russo, diz chefe de gabinete