LONDRES - A jovem paquistanesa Malala, que foi baleada na cabeça pelos talibãs por defender o direito das meninas irem à escola, recebeu nesta sexta-feira (4), em Londres, o Prêmio Anna Politkovskaya.
 
Trata-se da sexta edição do prêmio que leva o nome de uma jornalista russa assassinada por causa de seu trabalho de investigação e é dedicado às mulheres que mostraram sua coragem em zonas de conflito.
 
Há um ano, Malala, que esteve a ponto de morrer ao ser baleada quando entrava na escola, no Vale de Swat (noroeste do Paquistão). Transferida para Londres, onde recebeu tratamento, desde então se tornou uma infatigável defensora da educação para as meninas.