A liderança bipartidária do Comitê de Inteligência do Senado afirmou nesta quinta-feira que não há evidência para sustentar a alegação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que a Trump Tower foi alvo de uma escuta feita pelo governo do então presidente Barack Obama durante a campanha presidencial de 2016.

O presidente do Comitê de Inteligência do Senado, Richard Burr, um republicano da Carolina do Norte, e o vice-presidente, Mark Warner, democrata da Virgínia, afirmaram em comunicado conjunto que "não há indicações" de que a Trump Tower, um prédio em Manhattan onde Trump vivia e trabalhava antes de vencer a disputa presidencial, tenha sido alvo de qualquer forma de monitoramento do governo.

"Baseando-se nas informações disponíveis para nós, não vemos indicações de que a Trump Tower foi alvo de monitoramento de qualquer elemento do governo dos Estados Unidos nem antes nem depois do Dia da Eleição de 2016", afirmaram os dois senadores em breve comunicado conjunto.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Leia mais:
Juiz diz que Trump tem poder para proibir entrada de imigrantes
Trump está 'confiante' que Departamento de Justiça terá evidência de grampo telefônico
Analistas dizem que plano de saúde de Trump deixaria 14 milhões sem cobertura