A Suprema Corte da Colômbia vai enviar um questionário ao presidente do país, Juan Manuel Santos, e a um grupo de ministros a petição de um dos envolvidos no caso Odebrecht.

O pedido foi feito por um dos advogados do senador Bernardo Miguel Elías, preso nesta semana por supostos delitos de lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito, interesse indevido em celebração de contratos e suborno.

À Associated Press, uma fonte consultada da Corte Suprema, que pediu para não ser identificada, explicou nesta sexta-feira que não se trata de um depoimento do presidente Santos, mas sim de uma declaração juramentada. O mandatário receberá o questionário nos próximos dias, segundo a pessoa.

Também receberam o questionário os ministros da Fazenda da Colômbia, Mauricio Cárdenas, de Relações Exteriores, María Ángela Holguín, o da Agricultura, Aurélio Iragorri, o da Saúde, Alejandro Gaviria, e outros dois funcionários.

O ministro do Interior, Guillermo Rivera, disse a jornalistas que o governo de Santos respeita as decisões da Suprema Corte e que cumprirá com o pedido.

No final de maio, o ex-presidente da Odebrecht na Colômbia, Eleuberto Martonelli, admitiu ante a justiça que havia autorizado o pagamento de US$ 1 milhão para financiar uma pesquisa durante a campanha da reeleição de Santos, em 2014. Na Colômbia, é ilegal que empresas contribuam em campanhas presidenciais.

Fonte: Associated Press.

Leia mais:
Juan Manuel diz que não reconhecerá resultados da Constituinte venezuelana
Governo colombiano concede anistia e indultos a 7.696 ex-guerrilheiros das Farc