O Ministério da Defesa da Rússia disse, nesta sexta-feira (11), que tem provas de que rebeldes da cidade síria de Aleppo usaram, recentemente, armas químicas na população civil e em soldados do governo da Síria.

"Após uma rápida análise no laboratório móvel, ficou estabelecido que materiais atirados pelos rebeldes continham cloro e fósforo branco", disse o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov.

Armas de fósforo branco são usadas para criar cortinas de fumaça com a intenção de escurecer a batalha, mas isso não é listado como uma arma química, de acordo com os tratados internacionais.

Em 2012, o governo Obama acusou o presidente Bashar al-Assad de usar armas químicas e ameaçou uma ação militar na Síria. O Ministério de Defesa russo disse que enviaria as suas análises para a Organização de Proibição às Armas Químicas, na Holanda, e insistiu que a organização visite Aleppo.

"Nós pedimos que eles enviem especialistas a Aleppo para comprovar o uso de substâncias químicas como armas", disse Konashenkov. Fonte: Dow Jones Newswires.

Leia mais:
Congresso dos EUA promete aprovar propostas de Trump rapidamente
Questionado sobre Trump, papa Francisco fala de riscos de sofrimento de pobres
Papa Francisco diz que não julga Trump e prefere observar seu comportamento