O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, rejeitou as ofertas de mediação sobre a crise com a Catalunha e pediu respeito à lei espanhola, em discurso no Parlamento do país um dia após o presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, ter assinado um documento de declaração de independência da Espanha.

Embora tenha agradecido pelas ofertas de mediação, Rajoy afirmou que "não há mediação possível entre a lei democrática e a desobediência e a ilegalidade".

Puigdemont afirmou ontem que deve proceder com a secessão, mas suspendeu o resultado plebiscito que garantiu vitória ao sim pela independência por algumas semanas, para negociar com Madri.

Segundo Rajoy, nenhum país apoia os esforços da Catalunha em busca da independência e que ninguém deve ter "orgulho" do plebiscito ou da imagem que ele criou. O primeiro-ministro espanhol encerrou seu discurso pedindo para que todos os cidadãos "coloquem um fim à essa divisão com serenidade, prudência e com o objetivo final de recuperar a coexistência". Fonte: Associated Press.

Leia mais:
Paris e Berlim afirmam que não reconhecerão independência da Catalunha
Governo da Espanha rejeita declaração de líder da Catalunha, diz fonte
Espanha adverte que irá "restaurar a lei" se Catalunha declara independência
Manifestação contra separação da Catalunha leva milhares às ruas em Barcelona