O Ford Mustang é um habituè do cinema norte-americano. Seja em comédias românticas ou filmes de ação, o ícone da Ford sempre dá uma “canja”. No entanto, a atuação mais famosa do pony car foi em 1968, no longa-metragem policial “Bullitt”, estrelado por Steve McQueen. Na película, o ator dirigia um GT Fastback, que protagonizou uma das mais lendárias sequências de perseguição ao lado de um Dodge Charger R/T, que tem duração de alucinantes 10 minutos.

Pintado de verde musgo, o carro ficou eternizado a ponto de a Ford, vez ou outra, lançar uma edição em alusão ao carro do policial durão. A mais recente versão do “Bullitt” foi apresentada no Salão de Detroit.

Com a mesma tonalidade de pintura, as mesmas rodas “Bullitt Rims” (no caso com aro 19), o cupê chega com inovações como freios da italiana Brembo e opção de amortecedores com ajuste de carga magnético (imagina o velho Steve dobrando as ruas de San Francisco com uma suspensão dessas?) 

Ele ainda tem sistema de áudio de alta fidelidade, ajuste do nível de ruído do escapamento, mas também preserva configurações da velha guarda, como caixa manual de seis marchas com pomo da alavanca semelhante ao do carro do filme.

Motor
Em termos de desempenho, o Mustang Bullitt recorre ao popular V8 5.0 da versão GT, mas com potência elevada de 466 cv para 480 cv. Segundo a Ford a versão atinge máxima de 263 km/h.

A versão Bullitt já foi lançada outras duas vezes. A primeira foi em 2000, na quarta geração do esportivo. A segunda edição veio em 2008, já na quinta geração, que resgatava as linhas de 1965.