O novo “Ovo de Colombo” da indústria automotiva tem sido o uso de plataformas modulares. Trata-se de um conceito de base de montagem que pode ser ajustada (principalmente nos balanços de suspensão e entre-eixos) para diferentes modelos, mas que reduze custos de produção e logística. O Volkswagen Touareg é fruto dessa tendência. 

A terceira geração do utilitário-esportivo (SUV) de luxo da marca do “Carro do Povo” acaba de ser apresentada no Salão de Pequim e compartilha a base (MLB) – parte dos componentes mecânicos e equipamentos – com os primos ricos como Audi Q7, Porsche Cayenne e até mesmo os excêntricos Lamborghini Urus e Bentley Bentayga.

Comparado aos familiares distantes, o Touareg é o primo pobre da turma. Mas nem por isso deve ser menosprezado. O jipão alemão chega com virtudes que elevam seu preço para a casa dos 55 mil euros, como estima a imprensa europeia. 

Dentro da casta da VW, ele é o todo poderoso e com tecnologias que são ficção nos grandalhões Tiguan Allspace e Atlas. Aliás, ao contrário dos irmãos que levam até sete ocupantes, o Touareg se dedica a levar cinco com conforto. Melhor ser forem apenas quatro.

Sinergia
Essa relação próxima com os demais modelos do Grupo VW garantiu ao novo Touareg um banho de loja expressivo. O jipão agrega conteúdos presentes nos demais modelos da patota. Sistemas de auxílio a condução, como controle de cruzeiro adaptativo, que integra monitor de faixa (que atua caso o motorista tente trocar de pista com outro veículo em ponto cego), frenagem automática, visão noturna. Pode até assumir o controle da direção em situações de trânsito congestionado.

Entre outros recursos, o Touareg ainda conta com faróis do tipo Matrix LED, suspensão com ajuste de altura, painel digital, sistema de áudio de alta fidelidade com 730 watts e um generoso monitor central de 15 polegadas. Só para se ter uma ideia do tamanho da tela, na década de 1990 a grande maioria dos computadores de mesa tinha monitores de 15 polegadas. 

Motores
Se a plataforma é a mesma, não se pode esperar algo diferente dos motores. Para este ano a VW anunciou quatro opções, partindo da unidade V6 turbo 3.0 de 340 cv que também é adotada no Cayenne e Q7. Ele também conta com um motor V6 turbodiesel com potências de 231 cv e 286 cv, além de um grandalhão V8 turbodiesel de 421 cv e 90 mkgf de torque para ocupar o topo da gama. Em 2019, o plano da Volks é lançar uma versão com motorização híbrida.

Desenho
O Touareg segue a atual identidade visual da marca, com grade central bastante horizontal se fundindo aos faróis. A carroceria é assinada pelo brasileiro Arnaldo Cruzeiro e, apesar de ficar presa aos padrões da VW, tem linhas minimalistas em comparação às gerações passadas e porte anabolizado graças aos largos para-lamas.

Brasil
Com a chegada do Tiguan, com opção de sete lugares (All Space) e do T-Cross para ocupar o flanco dos compactos, é muito difícil que o Touareg seja comercializado por aqui. E caso seja importado, ele virá para fazer figuração, pois na Europa seu preço girará em torno dos R$ 200 mil. Por aqui ficará bem acima dos atuais de R$ 340 mil. Aí é melhor passear de Audi!