Esportivos japoneses há muito adotaram o turbocompressor como recurso eficaz de ganho de potência sem precisar aumentar o tamanho do motor. O downsizing já é aplicado por lá desde os anos 1980. Mas a Honda, por sua vez, nunca escondeu seu encanto pelos motores aspirados de alto giro, como foi na primeira geração do Civic Si, que chegou aqui na década passada. Agora estreia no Brasil a nova geração do esportivo, que se rendeu ao turbo.

Com preço sugerido de R$ 159.900, o novo Si desembarca equipado com o mesmo motor 1.5 turbo adotado na versão Touring do Civic sedã. Acontece que na versão cupê a potência sobe para gratos 208 cv, praticamente a mesma da geração passada, mas com a vantagem de oferecer mais torque em baixa rotação (2.500 rpm) e consumo bem mais comedido que o antigo motor 2.5, que assustava pelo apetite voraz.

Ao contrário de quase todos os esportivos vendidos atualmente, o Civic Si mantém a transmissão manual de seis marchas, o que é legal para quem gosta de cambiar as marchas por conta própria. Apesar de as trocas serem manuais, o cupê conta com recursos como seletor eletrônico de condução, que permite alterar parâmetros do acelerador, suspensão e direção. 

Conteúdos
Apesar de o pedal da embreagem sugerir que seja possível aquela arrancada vigorosa, com o pé afundado no pedal da esquerda, enquanto o pé direito, o motor e a mão direita mantêm o freio de mão puxado, a tecnologia surge para tolher cantadas de pneus indisciplinadas. O Civic Si é equipado com freio de estacionamento eletrônico, além de controles de tração e estabilidade. 

Ainda conta com partida sem chave, multimídia com conexão com smartphone e navegador GPS, ar-condicionado digital de duas zonas, dentre outras quinquilharias, que no caso dele não fazem a menor diferença.